Química Bioinorgânica

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

A inorgânica é o ramo da química que trata com os compostos não derivados do elemento químico carbono. Nos últimos anos, esta ciência tem se difundido muito nos meios acadêmicos, estando hoje no centro de muitas pesquisas em universidades de todo mundo. Uma de suas ramificações é a bioquímica inorgânica, também conhecida por bioinorgânica, a qual tem por finalidade investigar a atuação de metais, em particular os metais de transição, nos sistemas biológicos.

A área de investigação da Química Bioinorgânica abrange as consequências da incorporação de metais de transição aos sistemas orgânicos (sistemas vivos). Destaca-se a avaliação de sua toxicidade no que se refere à sua atuação medicinal. “Síntese, caracterização e estudo de moléculas orgânicas, complexos de metais de transição e organometálicos ou de análogos sintéticos com aplicações farmacológicas, e desenvolvimento de métodos analíticos relevantes para o estudo de sistemas biológicos”1 Também pode-se considerar as iniciativas de determinação da estrutura das moléculas formadas a partir da interação entre metal e proteína.

“As pesquisas têm contribuições importantes para o entendimento do processo de transferência de elétrons em processos biológicos, mais especificamente, para proteína (citocromo c), polipeptídios sintéticos e compostos de valência mista. O grupo tem desenvolvido um número significante de novos compostos liberadores de óxido nítrico, NO, baseado em complexos metálicos nitrosílicos com potencial aplicação como vaso dilatadores e antiparasitas. O grupo é pioneiro em novas estratégias para o desenvolvimento de metalodrogas contra a tuberculose”1.

Uma proteína considerada de transferência eletrônica são aquelas capazes de modificar o NOX de outra enzima por meio de redução, a qual muitas vezes é também uma metal-proteína. O transporte e o armazenamento de metais em um sítio ativo se refere em caráter específico a canais através de membranas, denominadas sideróforos, que são moléculas que possuem a propriedade de complexar centros metálicos, auxiliando em sua solubilização. Por exemplo, a metalproteína envolvida no transporte do oxigênio molecular, a hemoglobina, é talvez a mais conhecida e debatida da literatura. As vias de metabolismo do nitrogênio são também de vital importância, sendo a nitrogenase a de maior reconhecimento. Outra enzima de alto valor é a óxido nítrico sintase, responsável, entre outras coisas, pela produção de ácido nítrico.

No que se refere às aplicações tecnológicas, “modificações de eletrodos usando monocamada de compostos de coordenação tem elevado nosso entendimento na preparação e estabilidade de filmes finos, e pesquisas com nanopartículas estão sobre investigação, que mostram resultados promissores como novos materiais para o uso em catalise, biosensores e dispositivos ópticos e eletrônicos2.

Referências:
1. http://www.uff.br/posquimica/index
2. http://bioinorganica.dqoi.ufc.br/
JONES, Chris J.; A Química dos Elementos dos Blocos d e f, Sociedade Brasileira de Química, Bookman, São Paulo/SP – 2002.
MAHAN, Bruce M.; MYERS, Rollie J.; Química: um curso universitário, Ed. Edgard Blucher LTDA, São Paulo/SP – 2002.

Arquivado em: Bioquímica, Química