Reação de Decomposição

Por Júlio César Lima Lira
A reação de decomposição ou de análise (pois através dela podem ser estudados os elementos químicos que dão origem à substância decomposta) é um dos tipos de reações químicas na qual determinado composto, por ação espontânea se instável e não espontânea se estável, ao se desfragmentar quimicamente, dá origem à pelo menos dois produtos diferentes. Como exemplifica a reação genérica a seguir:

2AB(s) -> 2A(s) + B2(g)

Nessa reação, um composto simples AB se decompõe em duas substâncias simples A e B. Os símbolos subscritos (s, g) significam o estado de agregação das matérias envolvidas: sólido e gasoso, respectivamente.

Esse exemplo pode ser aplicado na decomposição do NaCl (Cloreto de Sódio) em Sódio sólido e Cloro gasoso: como o NaCl é extremamente estável, é necessário algum processo (geralmente eletroquímico) para que os átomos de cada molécula-íon sejam separados.

Quando o composto é instável, ou seja, pouco resistente a condições agressoras: altas temperaturas, baixas ou altas pressões e agitação, a reação de decomposição é espontânea, como ocorre na reação de análise da água oxigenada (peróxido de hidrogênio):

2H2O2(l) -> 2H2O(l) + O2(g)

Como peróxidos e superóxidos são substâncias instáveis, tendendo a formar apenas óxidos (pois a água nada mais é, do que óxido de di-hidrogênio) a reação de decomposição é altamente espontânea, pois se um indivíduo deixar um frasco de água oxigenada exposta ao ambiente sob luz solar, haverá liberação do gás oxigênio para a atmosfera e, após muito tempo, haverá apenas “água normal” no frasco abandonado.

Uma coisa chama muita atenção nas reações de análise: a formação de algum gás e sua liberação após a decomposição. Esse fato não é coincidência nesse tipo de reação, uma vez que os compostos são formados por afinidade eletrônica e os elementos que constituem substâncias gasosas são altamente eletronegativos, ligando-se então aos mais eletropositivos que tendem a formar substâncias sólidas, logo, após a decomposição do composto primário, os átomos mais simples são liberados voltando ao estado de origem.

Existem vários métodos para a quebra de moléculas maiores em substâncias elementares, dentre os mais comuns estão a: pirólise (quebra por alta temperatura), eletrólise (quebra por corrente elétrica) e fotólise (quebra por radiação luminosa).  Segue abaixo exemplos de reações utilizando-se desses métodos de ruptura:

Pirólise:
CaCO3(s) -> CaO(s) + CO2(g)
2KClO3(s) -> 2KCl(s) + 3O2(g)

Eletrólise:
2NaCl(s) -> 2Na(s) + Cl2(g)
2H2O(l) -> 2H2(g) + O2(g)

Fotólise:
2H2O2(l) -> 2H2O(l) + O2(g)
2AgCl(s) -> 2Ag(s) + Cl2(g)

Fontes:
THEODORE L. Brown, H. EUGENE LeMay, BRUCE E. Bursten. Química: A ciência central, São Paulo – SP: Editora Prentice-Hall, 2005. 9ª Edição. 992 págs.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Reação_de_decomposição (acesso em 28/02/2010)
http://cdcc.sc.usp.br/quimica/fundamentos/tipos_reacoes.html (acesso em 28/02/2010)
http://pt.wikipedia.org/wiki/Eletrólise (acesso em 28/02/2010)