Gateway

Por Marina Martinez
Gateways são componentes indispensáveis para alcançar as comunicações entre terminais ligados a redes heterogêneas que usam protocolos diferentes. São equipamentos que podem ser um computador com duas (ou mais) placas de rede, ou um dispositivo dedicado, cujo objetivo é permitir a comunicação entre duas redes com arquiteturas diferente, como também compartilhar uma conexão com a Internet entre várias estações. Esse equipamento permite traduzir os endereços e os formatos de mensagens presentes em redes diferentes.

Um gateway de rede pode ser completamente implementado em software, totalmente em hardware, ou como uma combinação de ambos. Atua em todas as camadas do modelo OSI e está associado a roteadores, switches, firewalls e servidores proxy. Em pequenas empresas ou em redes domésticas geralmente usa-se um roteador de banda larga para compartilhar a conexão com a Internet, onde o roteador funciona exatamente como um gateway padrão. Um roteador usa cabeçalhos e tabelas de encaminhamento para resolver o destino onde dados ou pacotes devem ser enviados e dá caminho por meio do qual as informações podem ser enviadas dentro e fora do gateway.

Nas casas, o gateway é normalmente o IAP (provedor de acesso à Internet) fornecido pelo dispositivo que conecta o usuário à Internet, tais como um modem DSL ou por cabo. Nas empresas, no entanto, o gateway é o nó que distribui o tráfego de uma estação de trabalho a outro segmento da rede. O gateway padrão é comumente usado para ser o nó de ligação de redes internas e da rede externa (Internet). Em tal situação, o nó de gateway pode atuar como um servidor proxy e um firewall. O gateway é também relacionado com um roteador, que utiliza os cabeçalhos e tabelas de encaminhamento para determinar onde os pacotes são enviados, e um switch, que fornece o caminho real para o pacote dentro e fora do gateway.

Podemos dividir os gateways em dois tipos: gateways conversores do meio e gateways tradutores de protocolos. O primeiro tipo é bem simples e muito utilizado em inter-redes que oferecem o serviço de datagrama e funcionam basicamente em receber um pacote do nível inferior, tratar o cabeçalho inter-redes do pacote, descobrindo o roteamento necessário, construir novo cabeçalho inter-redes (quando necessário) e enviar esse novo pacote ao próximo destino. O segundo é mais complexo e muito utilizado em inter-redes que utilizam circuitos virtuais passo a passo e atuam traduzindo as mensagens de uma rede, em mensagens de outra rede, com a mesma semântica de protocolo.

Os gateways são utilizados:

  • São muitas vezes utilizados para permitir que usuários em locais remotos possam acessar diferentes sistemas de destino (por exemplo, um sistema de computador em uma rede de área local).
  • Fornece conectividade entre sistemas remotos (por exemplo, computadores pessoais) em locais remotos com os sistemas alvo de interesse para permitir aplicações de rede diferentes.
  • Funciona como a interface entre os protocolos de proximidade local e protocolos de área ampla, como o TCP / IP (Transmission Control Protocol / Internet Protocol) na Internet.
  • Um gateway também gerencia seus dispositivos de cliente, agrega os dados, e executa outras tarefas afins.
  • Fornece comunicação mútua através da realização de conversão de protocolo de comunicação entre a rede de comunicação pública e da rede de comunicação privada.
  • É utilizado na conversão de protocolo mútua entre LANs (Local Area Network) que são construídas as redes de comunicação privados.
  • O gateway, muitas vezes funciona como um gateway de seleção de serviço (SSG), que permite aos utilizadores ligar-se a vários subscrito, serviços em rede sob demanda.

Referências Bibliográficas:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Gateway
http://www.guiadohardware.net/termos/gateway
http://www.baixaki.com.br/tira-duvidas/5249
http://pt.kioskea.net/contents/lan/gateway.php3