Forte de Copacabana

Por Fernando Rebouças
Localizado no litoral de Copacabana, bairro da cidade do Rio de Janeiro, no final na praia, o Forte de Copacabana é conhecido oficialmente como Museu Histórico do Exército. Em média, recebe por mês, cerca de dez mil visitantes.

O local oferece a visita restrita nas áreas externas e a completa  que dá acesso ao interior do forte e ao museu. No ano de 1763, a capital do Brasil-Colônia fora transferida para a cidade São Sebastião do Rio de Janeiro.

A transferência da capital gerou a necessidade de reforçar as defesas militares da Baía de Guanabara contra possíveis invasores, por meio da construção de Fortificações de Artilharia. A instalação do Forte na ponta da Igrejinha , entre as praias de Ipanema e Copacabana, foi iniciado em 1908, sendo o Forte de Copacabana inaugurado em 28 de setembro de 1914, pelo presidente da República Marechal Hermes da Fonseca.

Por que o forte não foi logo construído na época da transferência da capital do Brasil-Colônia? Na época, já havia um projeto inicial para a construção do forte, mas obras não foram concluídas a tempo de conter a  invasão espanhola  na Colônia de Sacramento e a ilha de Santa Catarina no sul do Brasil.

Um novo projeto de forte para o mesmo local foi elaborado após a Vinda da Família Real, sob determinação de D.João VI, o local foi artilhado somente em 1823, sob receios de um ataque militar português ao recém independente Brasil.

Após a Proclamação da República, durante a Revolta da Armada, o local voltou a receber artilharias. Depois da “Questão de Palmas” (demarcação de fronteiras  entre Brasil e Argentina), o local recebeu um novo projeto de fortificação, projetado pelo engenheiro Augusto Tasso Fragoso.

O projeto de Fragoso apresentação uma construção munida de seis canhões, mas foi engavetado em 1895. Em 1902, muitas das artilharias estavam abandonadas, e o local só recebeu o projeto de uma nova construção definitiva no governo do presidente Afonso Pena, quando  Marechal Hermes da Fonseca era o ministro da guerra.

A construção possui o formato de uma casamata, com paredes externas para o mar e com espessuras de 12 metros. Os canhões são de origem alemã em cúpulas encoraçadas e giratórias. O forte foi ocupado pela sexta Bateria Independente de Artilharia de Posição.

O local testemunhou, em 5 de julho de 1922, durante o Movimento Tenentista, a “Epopeia dos 18 do Forte”. A construção da fortificação se prolongou por 6 anos e 9 meses, com o trabalho de 2.000 operários civis.

Fontes:
http://www.fortedecopacabana.com/modules/mastop_publish/?tac=Forte_de_Copacabana
http://pt.wikipedia.org/wiki/Forte_de_Copacabana
http://www.anato.ufrj.br/catedraunesco2008/turismo.htm