Livedo Reticular

O livedo reticular é um achado cutâneo, caracterizado pelo surgimento de “linhas” avermelhadas ou azuladas na pele, de contornos irregulares que seguem com exatidão a disposição das veias. Esta alteração pode apresentar-se somente como algumas “linhas” ou como muitas, originando uma “rede de linhas” interligadas.

Esta alteração surge em consequência do fechamento das microartérias terminais localizados na pele, causado tanto pelo frio quanto por afecções orgânicas, levando à interrupção do fluxo de sangue e, consequentemente, de oxigênio para os tecidos locais. Como resposta, as microartérias distendem-se e ficam abertas, não recolhendo o sangue que deveriam recolher, deixando-o irrigando e oxigenando os tecidos. É este acúmulo sanguíneo que confere a cor vermelha ou azul à condição em questão.

O livedo reticular aparece em 1% a 5% dos indivíduos sadios, especialmente idosos. Afeta principalmente as extremidades dos membros inferiores, mas pode surgir também na coxa e antebraço. Habitualmente, são brandos nos meses quentes e mais acentuados nos meses frios.

O livedo reticular é dividido em cinco tipos:

  • Livedo reticular fisiológico: acomete mais comumente crianças expostas ao frio, como, por exemplo, em seguida ao sair da piscina; todavia, também pode acometer os adultos. Este tipo de livedo reticular é transitório, desaparecendo ao fim da exposição ao frio.
  • Livedo reticular congênito: o indivíduo já nasce com predisposição para desenvolvê-lo. É causado por um defeito congênito do sistema vascular, caracterizado pela contração de parte das arteríolas e dilatação de parte das microveias. Pode ser focal ou disseminado pela pele. Habitualmente o portador desta patologia nota um escurecimento da pele. Até o momento não há cura para este tipo de livedo reticular.
  • Livedo reticular idiopático: este, como o mesmo nome sugere, não possui causa definida. Comumente ocorre em mulheres jovens ou de meia idade, iniciando-se nos membros inferiores, podendo evoluir para o tronco e os membros superiores. Os portadores apresentam extremidades frias, dores, dormência e feridas. Ao examinar a área acometida, percebe-se que há presença de inflamações nas microartérias e nas pequenas veias.
  • Livedo reticular sintomático: pode ser consequência de arterites, de oclusões embólicas arteriais e de coagulopatias. Dentre as principais causas de arterites estão sífilis, lúpus eritematoso, artrite reumatóide, febre reumática e tuberculose. Já quanto às principais causas das oclusões embólicas, encontram-se a arteriosclerose e o mieloma múltiplo. Entre as causas das coagulopatias destacam-se infecções, neoplasias e moléstias que tornam o sangue ralo, privilegiando os sangramentos.
  • Síndrome de Sneddon: esta patologia é um tipo de livedo reticular, acompanhada por lesões vasculares do sistema nervoso central. Aproximadamente 70% dos casos dessa moléstia resultam em acidente vascular cerebral (AVC), podendo levar à paralisia em metade do corpo, alterações visuais e neurológicas. Nesta síndrome estão presentes anticorpos antifosfolípides na corrente sanguínea, abortos espontâneos, episódios de trombose venosa e/ou arterial.

Para a realização de um tratamento adequado, é preciso identificar as causas do livedo reticular e tratá-la. No caso do livedo reticular idiopático, um simples aquecimento do local acometido pode auxiliar na melhora dessa condição.

Fontes:
http://caras.uol.com.br/noticia/livedo-reticular-manifesta-se-por-linhas-avermelhadas-na-pele#image0
http://dermis.net/dermisroot/pt/42784/diagnose.htm
http://en.wikipedia.org/wiki/Livedo_reticularis
http://www.medicinapratica.com.br/tag/livedo-reticularis/

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Saúde