Placenta prévia

A placenta prévia consiste em uma condição na qual a placenta encontra-se aderida à região inferior da cavidade uterina, cobrindo totalmente ou parcialmente a luz do colo uterino, a partir da 22° semana de gestação.

A causa da placenta prévia ainda não é conhecida. Todavia, alguns estudiosos acreditam que a implantação da placenta não pode ocorrer na mesma área da parede uterina mais de uma vez. Deste modo, caso uma mulher fique gestante várias vezes durante sua vida, a parte inferior do útero poderia ser o único local onde a placenta poderia se fixar.

A placenta prévia é dividida em três tipos distintos:

  • Completa: o colo do útero encontra-se completamente coberto.
  • Parcial: o colo do útero encontra-se parcialmente coberto.
  • Marginal: a placenta não cobre o colo uterino, mas encontra-se próxima do mesmo, com potencialidade para interferir no momento do parto.

O parto da maioria das placentas prévias deve ser feitos por meio da cesariana, uma vez que a chance de ocorrência de hemorragia em parto vaginal normal é grande.

A manifestação clínica mais comum da placenta prévia é a presença de sangramento vaginal indolor (variando de fraco a intenso), que pode surgir entre a 24° a 26° semana de gestação, embora seja mais comum entre as últimas 4 a 5 semanas. O sangue é vermelho vivo, apontando que se trata de um sangramento recente, não estando relacionado com nenhuma lesão prévia.

Para identificação do posicionamento da placenta, realiza-se uma ultrassonografia. Após o diagnóstico da placenta prévia, a quantidade de sangramento vaginal é que irá indicar o tratamento adequado. Caso o sangramento seja brando, habitualmente opta-se por esperar (conduta expectante) o feto amadurecer o suficiente para sobreviver fora do ventre da mãe. A conduta expectante abrange internar a gestante, monitorando-a constantemente e, quando chegar o momento, realizar cesariana.

Nos casos de sangramento vaginal abundante, há a necessidade de uma intervenção para salvar a vida da mãe e do bebê. Deve ser realizada a cesariana, mesmo que o bebê ainda seja prematuro.

Fontes:
http://guiadobebe.uol.com.br/placenta-previa/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Placenta_pr%C3%A9via http://www.fetalmed.net/item/placenta-previa.html
http://saude.hsw.uol.com.br/placenta-previa.htm

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Reprodução, Saúde