Aktion T4

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Aktion T4 foi um programa nazista para esterilizar pessoas não desejadas.

O Partido Nazista ganhou força na Alemanha com a ascensão de Adolf Hitler ao comando do país na década de 1930. Em meio a uma crise capitalista iniciada em 1929, os germanos passavam por um período de muitas carências e dificuldades. O povo encantou-se com Adolf Hitler que surgiu como salvador da nação, promovendo programas de recuperação da Alemanha e resgatando o orgulho nacional que havia sido muito abalado com as punições impostas ao fim da Primeira Guerra Mundial. A recuperação do orgulho alemão, contudo, foi liderada por ideologias de superioridade de raça, o que repercutiu em ações agressiva que caracterizaram um dos maiores massacres do século XX. Hitler entoava fervorosamente seus discursos nazistas acusando minorias de atrapalharem o progresso e a pureza da raça ariana superior que constituía a população germânica.

No ano em que começou a Segunda Guerra Mundial, em 1939, ampliou-se agressivamente o projeto de limpeza étnica na Alemanha. Os judeus e grupos minoritários da sociedade já eram perseguidos ao longo da década de 1930, mas, com o início do novo conflito internacional, a situação foi agravada. Naquele ano, os nazistas colocaram em prática um grande projeto com fins eugenistas. O objetivo da ação era eliminar da Alemanha pessoas com deficiências física ou mental, portadores de doenças incuráveis ou pessoas com idade bastante avançadas. Hitler e os nazistas almejavam formar uma nação com pessoas supostamente perfeitas, sem defeitos, brancas e superiores.

O Aktion T4, ou Programa Eutanásia, esteve ativo intensamente na Alemanha nos anos iniciais da Segunda Guerra Mundial. O código T4 que aparece após o nome do programa refere-se ao endereço no qual era executado o programa em Berlim, Tiergartenstrasse 4. A ação utilizada pelos médicos nazistas era realizada através da eutanásia, o que matou muitas pessoas. Os alemães eram estimulados a levar pessoas nas condições indesejadas até o endereço do programa para promover a suposta limpeza social. Hitler, contudo, sabia que a medida não seria muito popular, por isso o líder alemão determinou que a execução do programa não deveria envolver o nome de sua chancelaria. Hitler queria se prevenir de uma possível manifestação popular hostil na região católica da Áustria anexada no começo da guerra.

Mas o Partido Nazista não conseguiu evitar manifestações populares de oposição, afinal o programa encaixava-se perfeitamente nos ideais eugenistas que sempre foram propagados pelos nazistas. A Igreja Católica desenvolveu importante papel na orientação da contestação popular e estimulou muitas pessoas a se posicionarem contra o programa. A insatisfação com o Aktion T4 cresceu tanto que Adolf Hitler optou por cancelar o programa em 1941. O pessoal que trabalhava no programa foi transferido para o leste e passou a trabalhar em algo mais agressivo, os campos de concentração. Matando muito mais pessoas.

O programa Aktion T4 esteve ativo entre os anos de 1939 e 1941. Número declarados pelos próprios médicos envolvidos com o programa apontam para mais de 70 mil mortes antes da manifestação popular estimular o encerramento das atividades. Porém o Tribunal de Nuremberg investigou a ação desse grupo e verificou que muitos desses médicos continuaram trabalhando com o programa de forma oculta. Em função disso, estipula-se que 275 mil pessoas foram mortas pelo programa.

Fonte:
http://www.t4holocaust.com