Orgasmo

Por Vivian Fernandes
O orgasmo é o período de maior excitação durante o ato sexual ou a masturbação. Dura poucos segundos e é sentido de forma diferente por cada pessoa. Há, porém, as principais características do orgasmo sentido pela mulher e do orgasmo sentido pelo homem.

Para as mulheres o período de duração do orgasmo é mais extenso do que nos homens, e vai diminuindo lentamene. Quando ficam excitadas, as mulheres liberam um líquido lubrificante (por isso dizem que elas ficam “molhadinhas”). No momento do orgasmo, algumas delas acumulam esse líquido e liberam de uma vez, em maior quantidade, que é conhecido como a “ejaculação feminina”, porém este não é um termo correto, pois a ejaculação masculina é a liberação do sêmen, o que não ocorre com as mulheres. O orgasmo feminino geralmente se manifesta com a aceleração dos batimentos cardíacos, arrepio pelo corpo e tremor na barriga.

Para os homens o período de duração do orgasmo é mais curto, é um pico rápido de excitação seguido de ejaculação e depois ocorre um período de exaustão. Durante este pico de excitação, os homens também podem sentir tremor na barriga, aceleração dos batimentos cardíacos e suor.

Há uma prática oriental originada na Índia conhecida como “yoga tantrica” que defende a idéia de que o sêmen é essência divina e, portanto, não deve ser expelido pelo homem em todas as relações sexuais. Assim, eles aprendem a atingir o orgasmo e não ejacular em seguida, aumentando a força vital do homem. Conseguindo isso, eles também poderão – assim como algumas mulheres já conseguem – atingir diversos orgasmos durante a mesma relação sexual, os conhecidos “orgasmos múltiplos”.

Os efeitos benéficos da relação sexual são inúmeros: relaxamento, melhor circulação sangüínea, bom-humor, melhora a qualidade do sono e a auto-estima, ameniza as cólicas menstruais e dores de cabeça, queima calorias, fortalece a musculatura pélvica, aumenta a imunidade, regula os intestinos, previne o enfarte, retarda os efeitos do envelhecimentos, dentre outros.

Deve-se atentar, contudo, para situações e sensações que prejudicam a relação sexual: estresse, cansaço, depressão, pressa, baixa auto-estima, rotina, gravidez (em alguns casos). Nos adolescentes é muito comum também o medo de decepcionar o parceiro e a concepção de estarem fazendo “algo errado”.

É importante ressaltar que esse ápice de excitação não deve ser o único objetivo do sexo, pois o tornaria mecânico, seria um momento de cobrança para obter o melhor desempenho possível. A relação sexual deve ser sentida em todos os seus momentos: as preliminares, as trocas de carícias, a química, a entrega de um para o outro. O orgasmo é apenas conseqüência. Ademais, a ansiedade é fator extremamente negativo, dificultando tanto no orgasmo, como podendo acarretar na ejaculação precoce e na impotência.

Curiosidade
Os jogadores e futebol e os lutadores, em geral, são proibidos de manter relações sexuais durante determinado período antes das competições. A ausência de sexo os deixa com maior adrenalina, atentos, concentrados. Essa proibição também decorre da fadiga sentida pelo homem após a ejaculação, que é tão grande que os franceses a denominam de “la petite mort” (“a pequena morte”).

Leia também:

  1. Masturbação
  2. Impotência Sexual
  3. Libido
  4. Ninfomania