Sínfise pubiana

Por Débora Carvalho Meldau
A sínfise pubiana, também denominada sínfise púbica, trata-se da articulação responsável por unir os ramos direito e esquerdo do osso pubiano.

Anatomicamente, situa-se anteriormente à bexiga urinária e acima dos genitais externos, sendo que para indivíduos do sexo feminino localiza-se acima da vulva, enquanto que para os indivíduos do sexo masculino, acima do pênis.

Esta sínfise apresenta uma ligeira mobilidade, podendo mover-se cerca de 2 mm durante um movimento de rotação, em adultos, sendo que em mulheres gestantes, no momento do parto, essa amplitude aumenta.

Na sua porção anterior, a sínfise pubiana encontra-se de 3-5 mm mais espessa quando comparada com a porção intrapélvica posterior. Os ossos pubianos encontram-se ligados por fibrocartilagens, podendo apresentar uma cavidade repleta de fluídos, sem que haja vasos sanguíneos passando pela mesma, possivelmente em decorrência da compressão as quais estas articulações são submetidas, fato que poderia levar a prejuízos vasculares.

As extremidades de ambos os ossos pélvicos que dão origem à sínfise púbica são recobertas por uma delgada camada de cartilagem hialina, que se encontra ligada à fibracartilagem. Esta última é reforçada por ligamentos superiores e inferiores, que, por sua vez, são reforçados por tendões.

As principais funções da sínfise púbica são absorver choques durante a caminhada e, nas mulheres, permitir a passagem do bebê durante o parto normal.

Dentre as desordens que acometem a sínfise púbica estão:

  • Osteodistrofia renal, que leva a um alargamento da sínfise;
  • Ocronose, que resulta em depósito de cálcio na sínfise;
  • Espondilite anquilosante, levando à fusão óssea da sínfise;
  • Osteíte púbica, que é o tipo de inflamação mais comum nessa região;
  • Doença articular degenerativa da sínfise, que pode ocasionar uma instabilidade ou movimentos pélvicos anormais;

Fontes:
http://en.wikipedia.org/wiki/Pubic_symphysis