Mercúrio

Por Caroline Faria
Mercúrio é o primeiro planeta do sistema solar. O que está mais próximo do sol. Devido a sua proximidade com o sol só é possível avistá-lo da terra pouco antes do nascer ou do pôr do sol, sendo que nas duas ocasiões ele fica bem visível.

Sua órbita elíptica faz com que ele fique em determinado ponto até 70 milhões de km de distância do sol, enquanto que em outro momento ele pode chegar a apenas 47 milhões de km de distância.

Com uma temperatura que varia entre 427ºC e -137ºC, mercúrio é o planeta que possui a maior amplitude térmica (variação de temperatura) do sistema solar, cerca de 600ºC.

Isso ocorre pelo fato de não haver atmosfera no planeta, apenas uma camada de hélio que, acredita-se, seja proveniente do próprio sol, ou então do decaimento radiativo dos elementos que compõem suas rochas, ainda não há consenso. Estes fatos permitem que toda a radiação solar atinja o planeta na face que está virada para o sol elevando sua temperatura a cerca de 427ºC, mas que pode chegar a mais de 430ºC e, ao mesmo tempo, que toda a radiação do lado oposto, ou seja, o lado escuro, escape, fazendo com que a temperatura caia abruptamente.

Devido à influência do sol, o dia em mercúrio é bastante longo, corresponde a 176 dias terrestres, e vai sendo retardado a cada período de milhões de anos (109). Ao mesmo tempo, os anos em mercúrio são curtos (metade da duração dos dias) porque ele gira muito rápido em volta do sol a mais ou menos 50 km por segundo.

Em 1973 foi enviada uma sonda para estudar Mercúrio. A sonda Mariner, que chegou a 705 km de distância do planeta, constatou que este tem um campo magnético 1% mais forte que o da terra, o que também, comprova que seu núcleo é formado por metal parcialmente fundido.

Seu relevo é bastante parecido com o da lua, porém devido a sua gravidade ser maior (o dobro da lunar) as formações, causadas pelos impactos de meteoritos, apresentam características diferentes das da lua. Sua principal característica são as escarpas com centenas de quilômetros de extensão.

Há ainda quem afirme que pode haver água em mercúrio. Ocorre que, em 1991 foi observado um brilho na superfície deste planeta próximo ao seu pólo norte. Segundo algumas suposições, este brilho poderia ser ocasionado pela presença de gelo vindo de algum asteróide e que permaneceu congelado por estar protegido do calor do sol dentro das crateras existentes no pólo norte do planeta que não fica totalmente exposto ao sol em nenhum período do ano de mercúrio. Isso porque o movimento de translação do planeta é perpendicular ao do sol.