Banditismo

De acordo com a definição do iDicionário Aulete (http://aulete.uol.com.br), Banditismo significa: “Modo de proceder de bandido, tipo de vida de bandido ou conjunto dos crimes cometidos em certo lugar ou época (criminalidade)”. Além da definição dos dicionários, banditismo também pode ser considerado uma forma de atividade predatória realizada por bandos armados, organizados ou não, contra propriedades e autoridades. Segundo o historiador Eric Hobsbawm, “o banditismo é uma forma bastante primitiva de protesto social organizado”.

Em diversos períodos da história humana, o banditismo apresentou-se como consequência de um mal estar na sociedade. Os mercenários, que saqueavam a mando de monarcas e nobres, podem ser incluídos neste grupo. Em outra concepção, os praticantes do banditismo assumem um caráter de revanche social dos pobres contra os ricos, como no caso do lendário Robin Hood, bandido popular da Inglaterra que foi tido como herói por "roubar da nobreza e distribuir os bens para os camponeses". Porém, sua existência não foi confirmada pelos historiadores. De acordo com Hobsbawm, os foras da lei são resultado da inoperância e ausência do Estado. Em suas palavras: “a debilidade do poder propiciava o potencial para o banditismo".

No Brasil, o banditismo teve um de seus maiores exemplos no sertão no Nordeste: os Cangaceiros. Com seu surgimento no século XIX e desenvolvimento no XX, o cangaço é simbolizado por Lampião (Virgulino Ferreira da Silva), que liderou uma quadrilha durante duas décadas. Entre suas ações, saqueavam cidades nordestinas, matando de forma indiscriminada e impondo a vontade dos bandidos pelo tempo que permaneciam em cada região.

Outro exemplo de banditismo eram os piratas. Romanos, cipriotas e fenícios eram praticantes deliberados da pirataria. Com embarcações que dispunham de grandes arsenais, eram bandidos independentes que saqueavam outros navios. Os piratas não devem ser confundidos com os corsários, pois os primeiros agiam de forma independente e os segundos atuavam por ordem do Estado.

Uma característica marcante do banditismo é que seus integrantes conseguiam cooptar cidadãos de bem e transformá-los em foras da lei. Reunidos com as camadas mais pobres da população, os bandidos protestavam contra perseguições e injustiças. Porém, os bandidos não devem ser confundidos com os revolucionários, pois nem sempre estavam ao lado da população e não possuíam ideologia para mudar a sociedade. Um exemplo deste fenômeno é o próprio Lampião. De acordo com o jornalista Leandro Narloch, autor do livro "Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil" (editora Leya), “Lampião dava a vida para estar entre coronéis”.

Fontes:
NARLOCH, Leandro. Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil. São Paulo: Editora Leya, 2010.
HOBSBAWN, Eric. Bandidos. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1975.
AZEVEDO, Antonio Carlos do Amaral. Dicionário de nomes, termos e conceitos históricos. 3ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.
http://educacao.uol.com.br/disciplinas/historia-brasil/cangaco-banditismo-no-sertao-nordestino.htm
http://www.grupoescolar.com/pesquisa/banditismo-social.html

Arquivado em: Sociologia