Interacionismo Simbólico

Por Fernando Rebouças
O Interacionismo Simbólico é uma especialização sociológica que tem origem na Escola de Chicago, muito utilizada na microsociologia e psicologia social. George Herbert Mead detectou que os egos das pessoas são produtos sociais e critativos.

Este estudo teve origem no pragmatismo, e além da pesquisa de Mead, teve a dedicação de Herbert Blumer e Charles Cooley.

Bluner criou o termo “interacionismo simbólico” e interpretou os estudos de Mead. Defendeu a ideia que as pessoas atuam em relação as coisas conforme o significado de cada coisa, ou seja, você reage a uma situação conforme a mesma significa para você.

Este significado são resultados da interação social e interpretação que cada possui e elabora. É um campo de estudos que exige várias técnicas de métodos de investigação.

Entre os métodos, o mais utilizado é a pesquisa qualitativa, em que se observa o participante visando encontrar aspectos de interação social e de individualidade.

A sociologia das emoções, os movimentos sociais, o comportamento coletivo e a sociologia da vida sexual são as áreas da sociologia que mais foram influenciadas pelos estudos do interacionismo simbólico..

É muito utilizado para a “definição de situação”, “trabalho emocional”, “manipulação de identidade”, “formação de identidade”, e “instituição. As interpretações são mútuas entre indivíduos que interagem entre si, um reage as ações e observações do outro, através de significados atribuídos as ações observadas e adquiridas.

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Interacionismo_simbólico