Renda Social

Por Fernando Rebouças
Avanços sociais, inclusão social, geração de trabalho, sustentabilidade social e ambiental e vários outros dispositivos e temas que visam a melhoria da população estão envolvidos com a questão da renda social. Segundo a Cetelem, em 2007, o número de brasileiros nas classes baixas era de 72,9 milhões, 39% da população.

No início dos anos 2000, a classe C cresceu recebendo pessoas das classes A e B, e das classes D e E. A renda social depende da elaboração de projetos que busquem a geração de emprego e renda para a inclusão social.

O conceito de renda social passa pelo escopo de sustentabilidade econômica, na capacidade de gerar fluxo e receita para a manutenção de um projeto, de uma empresa e equipe de trabalho. A sustentabilidade social é a capacidade de um determinado projeto obter legitimidade e aceitação social.

A palavra renda, em seu entendimento genérico, seria “receita menos despesa”. Gerar renda e oportunidade para todos, de forma igualitária num conjunto de pessoas, sendo o objetivo mais significativo de Renda Social.

No início deste texto citamos como valores inseparáveis a inclusão social, a geração de trabalho e renda, que em suma só atingem em comum o objetivo da superação da pobreza. Todo investimento ou projeto social deve ter viabilidade e boa gestão administrativa.

Produzir, gerir e comercializar são pontos base de uma empresa, sobretudo com processos otimizados em tecnologia e informação transparente e comum a todos.