Utopia

Por Fernando Rebouças
Um sonho, uma idéia sem objetividade prática, ou planejamento sem lugar real de ser empreendido, vários são os conceitos que se sugerem para o termo “Utopia”. O adjetivo utópico leva à ausência de realidade concreta, irrealizável, ou um ambiente onde o ser humano possa construir uma nova realidade distante da verdadeira em que vive.

A utopia existe em lugar nenhum, ou é uma alternativa de realidade, um ponto de vista virtual onde se projeta uma nova realidade ou condição. Todo espaço inatingível ou perenemente perfeito seria utópico para o homem, como se fosse uma felicidade sem lugar.

Porém muitas lutas sociais, econômicas e políticas fizeram crescer o termo utopia em significado e realizar muitas situações antes consideradas utópicas. Como a construção de Brasília, até o século XIX, considerada um sonho pelas impossibilidades do transporte e engenharia da época.

Toda resistência possui um fundo de utopia, que surge a partir de desencanto social em direção ao sonho ou projeto de estado de direito melhor. Todo sentido de possibilidade utópica pode encorajar o aperfeiçoamento do mundo e das coisas tangíveis, no sentido da reconstrução e das renovações da existência do ser humano.

Segundo Ernest Bloch, utopia é “um sonhar para frente”. Segundo Tillich, o pensamento utópico seria a dimensão negativa da ilusão humana; ainda seria um desejo inalcançável, próximo da perfeição.