Enem na UFJF

Enem na UFJF

Exame Nacional do Ensino Médio foi criado em 1998 para avaliar a qualidade do ensino no Brasil. A proposta inicial era bem rígida e apresentava um modelo com divisões claras entre as disciplinas. Ou seja, era uma avaliação bastante metódica e que, na prática, interessava a poucos. Com o passar dos anos, algumas universidades passaram a utilizar o Enem como integrante do processo seletivo para ingresso nos seus cursos de graduação. Esta postura ampliou a procura e os horizontes do exame. Assim, o Ministério da Educação percebeu que a avaliação poderia atender com maior abrangência aos alunos de Ensino Médio no país. A adoção de um padrão inovador veio em 2009, quando o Enem se tornou a porta de entrada para as universidades públicas brasileiras.

Durante alguns anos, a Universidade Federal de Juiz de Fora não recorreu ao Enem para qualquer tipo de avaliação dos alunos que ingressavam em seus cursos de graduação. No entanto, com a nova representação do Enem para o sistema educacional brasileiro e com as exigências do Ministério da Educação, a instituição de ensino de Juiz de Fora adotou uma nova postura frente ao exame. A princípio, o Enem foi utilizado como primeira fase do processo seletivo para ingresso na UFJF. Os alunos aprovados ainda eram submetidos a provas de conhecimentos específicos pertinentes às áreas escolhidas pelos candidatos para os estudos da graduação.

Nos últimos anos, o Ministério da Educação promoveu grande expansão do Sistema de Seleção Unificada, popularmente conhecido como SiSU. Para participar desse processo seletivo, o aluno que está concluindo o Ensino Médio precisa obrigatoriamente ser avaliado na prova do Enem. O SiSU permite maior flexibilidade na escolha de cursos superiores e também na escolha da instituição de ensino desejada. Se antigamente era preciso viajar para várias cidades para prestar o Vestibular das respectivas universidades desejadas, hoje é possível concorrer a uma vaga em qualquer instituição pública do país através de uma única avaliação nacional que pode ser feita na própria cidade do aluno.

A Universidade Federal de Juiz de Fora adotou o Sistema de Seleção Unificada gradativamente. De início, as vagas oferecidas pelo SiSU eram destinadas apenas aos bacharelados em grandes áreas do conhecimento. Mas o processo de unificação do modelo de ingresso nas universidades fez com que a UFJF ampliasse as possibilidades de acesso através do SiSU. Atualmente, as vagas da instituição só não são completamente ofertadas pelo Sistema de Seleção Unificada porque a universidade também utiliza como processo seletivo o Programa de Ingresso Seletivo Misto (PISM), que avalia os estudantes no final de cada ano de estudo do Ensino Médio. Os alunos com melhores notas somadas no fim dos três módulos conquistam vagas na instituição.

Ainda assim, a maior parte das vagas nos cursos de graduação da Universidade Federal de Juiz de Fora é oferecida via SiSU. Logo, os estudantes devem prestar o Exame Nacional do Ensino Médio e, com o resultado obtido, podem se inscrever no processo seletivo da UFJF. O modelo de ingresso atual possui apenas uma fase, à exceção dos cursos que exigem prova de habilidade específica, viabilizada através do Enem, mas o formato corrente do SiSU permite que o aluno se candidate a dois cursos de graduação na mesma instituição ou em instituições diversas. A UFJF faz várias chamadas até completar o número de vagas ofertadas em cada curso.