Abate Halal

Por Franciele Charro
Halal em árabe significa “legal” ou “permitido”, sendo um termo usado para descrever várias facetas da vida que são permitidas pelas leis da Allah (Deus), entre elas relacionadas à alimentação. Apenas os alimentos halal são permitidos para o consumo dos muçulmanos, que são os obtidos de acordo com os preceitos e as normas ditadas pelo Alcorão Sagrado e pela Jurisprudência Islâmica. Animais como os bovinos, caprinos, ovinos, frangos podem ser considerados halal, desde que sejam abatidos segundo os Rituais Islâmicos (Zabihah).

De acordo com as exigências das Embaixadas dos países islâmicos, o abate Halal deve ser realizado em separado do não- halal, sendo executado por um mulçumano mentalmente sadio, conhecedor dos fundamentos do abate de animais no Islã. As normas básicas a serem seguidas para o abate halal são estas: serão abatidos somente animais saudáveis, aprovados pelas autoridades sanitárias e que estejam em perfeitas condições físicas; a frase “Em nome de Alá, o mais bondoso, o mais Misericordioso” deve ser dita antes do abate; os equipamentos e utensílios utilizados devem ser próprios para o Abate halal. A faca utilizada deve ser bem afiada, para permitir uma sangria única que minimize o sofrimento do animal; o corte deve atingir a traqueia, o esôfago, artérias e a veia jugular, para que todo o sangue do animal seja escoado e o animal morra sem sofrimento; inspetores mulçumanos acompanharão todo o abate, uma vez que eles são os responsáveis pela verificação dos procedimentos determinados pela Sharia; todo o preparo, processamento, acondicionamento, armazenamento e transporte devem ser exclusivos para os produtos halal ,que obrigatoriamente são certificados e rotulados conforme a lei da Sharia.

Em alguns países é comum a pratica de matar o animal por métodos tradicionais, através da degola do pescoço, sem a etapa da insensibilização, o Halal usado para a obtenção de carnes para pessoas de fé islâmica, é uma delas. No Brasil, é facultado o sacrifício de animais de acordo com preceitos religiosos, desde que sejam destinados ao consumo por comunidade religiosa que os requeira, ou ao comércio internacional com países que façam essa exigência. Dentre os métodos de insensibilização aceitos estão a concussão por dardo não-penetrante e a eletronarcose sem a indução da parada cardíaca. O emprego da insensibilização no abate halal permite maior velocidade de abate e mantém elevado o padrão humanitário. No Brasil existem duas certificadoras para carne halal, a Central Islâmica Brasileira de Alimentos halal (CIBAL Halal) reconhecida pela Federação das Associações Muçulmanas do Brasil (FAMBRAS) e o Centro de Divulgação Islã para a América Latina.

Fonte:
Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes – Disponível em: www.abiec.com.br, Acesso em 25/04/2012

ROÇA, R. O. et al. Efeitos dos Métodos de Abate de Bovinos na Eficiência da Sangria. Ciência e Tecnologia do Alimento, Campinas, 21(2): 244-248, maio-ago. 2001

Tecnologia de abate e tipificação de carcaça/ Lúcio Alberto de Miranda Gomilde, Eduardo Mendes Ramos, Paulo Rogério Fontes.- Viçosa: UFV, 2006.