Criação de Carneiros (Ovinocultura)

Por Marcos Duarte
O temperamento naturalmente dócil do carneiro, fez com que o mesmo (juntamente com o cão, a vaca e a cabra) fosse um dos primeiros animais criados com finalidade de alimentação para o homem. Os ovinos são mais adaptados ao frio, tanto é que em nosso país a maior parte do rebanho se encontra no Sul (clima mais adequado à maioria das raças).

Os principais produtos gerados pela ovinocultura são:

-Lã: apesar de a lã sintética dominar praticamente todo o mercado, a lã natural ainda é valorizada e tem seu valor agregado;

-Peles: são produzidas por raças especializadas (Astracã e Persianas) e podem ser comercializadas de várias formas (cruas, salgadas...);

-Leite: algumas raças podem chegar a produzir 4 litros/dia, destinando essa produção para o processamento em queijo;

-Carne: Alguns países têm uma tradição de consumo de carne de carneiro, o Brasil atualmente importa quase tudo o que consome;

-Esterco: é um co-produto da criação de ovinos, bastante valorizado para adubação.

As principais condições climáticas para as criações de carneiro são altos índices pluviométricos e clima frio. Tratando-se de alimentação, devemos prezar pelos hábitos naturais dos carneiros (pastagem rasteira), sempre prezando pelo bom valor nutricional das mesmas. Para o cálculo de ingestão de água dos mesmos devemos considerar que cada animal ingere uma média de 5 litros de água/dia.

Algumas definições importantes na ovinocultura:

-Velo: cobertura natural (lã) do carneiro;
-Cordeiro: carneiro de até 7 meses de idade;
-Borrego: carneiro até 15 meses;
-Cascarreio: tosquia higiênica da fêmea em torno do aparelho reprodutivo.