Fisiologia do Crescimento Bovino

Por Marcos Duarte
Para inicialmente discorrermos sobre a fisiologia do crescimento bovino, devemos primeiramente, conceituar crescimento.

Definição de Crescimento : é o aumento dos tecidos correlacionados com o tempo (normalmente expresso em Kg/dia).

Podemos ter ainda duas fases distintas de crescimento dos bovinos, sejam elas:

- Fase fetal e fase pós-natal (até o desmame e pós-desmame).

Mas como se dão as formas de crescimento?
Existem ainda duas formas dos animais crescerem, a saber:

-Hiperplasia: é o aumento do número de células, esta forma de crescimento se dá na fase embrionária e durante parte do crescimento fetal;

-Hipertrofia: a partir de certo momento de crescimento do feto, seu crescimento se dará pelo aumento do tamanho das células, esta forma de crescimento é que perpetuará durante toda a vida do animal, ou seja, o número de células do animal continua constante em toda sua vida.

Há ainda uma ordem de crescimento dos bovinos:

Portanto o bovino continua seu crescimento desde o pós-natal até alcançar sua maturidade fisiológica, quando podemos identificar uma parada do crescimento muscular, fechamento das epífises e deposição de tecido adiposo.

Por essas razões existem raças que demoram maior tempo para terminar (geralmente raças indianas), porque o crescimento delas é mais desacelerado demorando um maior tempo para haver deposição de gordura.

Além do mais, a gordura pode ser considerada um tecido “caro”, pois há muita maior exigência de energia para se depositar 1g de gordura na carcaça do animal do que, por exemplo, 1g de proteína (tecido muscular), sendo essa razão dos animais mais jovens obterem maior taxa de crescimento (estão depositando proteína no músculo).