Planetas do Sistema Solar

Mestre em Astronomia (Observatório Nacional, 2016)
Graduado em Física (UFRPE, 2014)

Em 2006, a União Astronômica Internacional (IAU) estabeleceu novas regras para definição de planeta:

  • Girar ao redor de uma estrela;
  • Possuir massa suficiente para que sua autogravidade assuma um equilíbrio hidrostático, ou seja, produzir uma forma aproximadamente esférica;
  • Limpar a vizinhança em torno de sua órbita, ou seja, deve ser grande o suficiente para que sua gravidade não permita que objetos de tamanho próximo invadam sua órbita.

Hoje, no Sistema Solar, existem oito planetas: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. Os quatro primeiros são planetas terrosos, e os outros, gasosos. Planetas fora do sistema solar são chamados de exoplanetas.

Até 2006, Plutão era considerado planeta, porém, por dividir sua órbita com outros objetos do Cinturão de Kuiper, ele foi reclassificado como planeta anão.

Os planetas do sistema solar. Ilustração: D1min / Shutterstock.com

Mercúrio

Mercúrio é o planeta mais próximo do Sol, orbitando-o a 0,39 U.A.¹. O dia em Mercúrio corresponde a 58,6 dias terrestres e o ano, 88 dias terrestres. Seu tamanho é tão pequeno que é apenas 40% maior do que a Lua e menor que Titan (luas de Saturno) e Ganímedes (lua de Júpiter). A densidade de Mercúrio é alta pois estima-se que seu núcleo corresponde a 70% a 80% do seu raio. Durante o dia, a temperatura superficial chega acima de 400oC, porém durante a noite ela cai para -180oC porque Mercúrio não possui uma atmosfera para manter a temperatura constante. A superfície é coberta por crateras de impacto e planícies causadas por correntes de lava que cobriam a superfície antigamente, no entanto, ainda existem algumas crateras cobertas por porções de lava.

Mercúrio. Foto: NASA

Vênus

Vênus orbita o Sol a uma distância de 0,72 U.A. e o ano venusiano é menor do que o dia (224,7 e 243 dias terrestres, respectivamente). Vênus rotaciona de forma retrógrada, ou seja, gira no sentido contrário ao dos outros planeta. Ele não possui nenhum satélite. No que diz respeito à topografia, existem planícies cobertas por fluxos de lava e montanha. Sua atmosfera, cuja pressão é 92 vezes mais intensa do que a terrestre, é composta principalmente por CO2 e contém nuvens compostas de gotículas de ácido sulfúrico. Vênus possui um efeito estufa fortíssimo causado pelo CO2 da atmosfera, o que faz com que a temperatura da superfície do planeta seja alta (cerca de 482oC) e homogênea pois o calor do Sol é aprisionado na densa atmosfera e impedido de escapar. Isso faz com que ele seja o planeta mais quente do Sistema Solar. Em 1610, Galileu observou que, assim como a Lua, Vênus possui fases, o que foi um dos principais argumentos para desbancar a teoria geocêntrica.

Foto de Vênus, tirada pela sonda Pioneer Venus Orbiter. Créditos: NASA.

Terra

A Terra é o planeta que mais se destaca do Sistema Solar. 71% da sua superfície é coberta por água e, por isso, ela é o lar de milhões de seres vivos e, até onde temos conhecimento, este é o único planeta a abrigar vida. Nossa atmosfera nos protege de meteoroides, fazendo a maior parte deles se desintegrar antes se chegarem ao solo, e é composta 78% por nitrogênio, 21% por oxigênio e 1% por outros componentes. O núcleo do planeta é composto por níquel-ferro fundido que gira rapidamente, causando um grande campo magnético, que nos protege da radiação solar. Possuímos apenas um satélite: a Lua.

Planeta Terra. Foto: NASA.

Marte

Marte se distancia do Sol por 1,5 U.A., possui um ano correspondente a 687 dias terrestres e um dia com duração de 24,6 horas. A temperatura superficial varia de 140oC a 20oC, com uma média de -63oC. A grande amplitude térmica ocorre devido às estações do ano e à sua fina atmosfera, composta 95% de CO2 e cuja pressão corresponde a apenas 1% da pressão da terrestre. Sabe-se que existe água em Marte nas calotas polares, misturada com CO2. Aspectos parecidos com costas, leitos de rios e ilhas indicam que, no passado, Marte possuía água fluida. Marte é coberto por crateras, bacias de lava e vulcões, sendo um deles o maior vulcão do sistema solar (três vezes maior que o Monte Everest). Martes possui também duas luas: Phobos e Deimos.

Marte. Foto: NASA.

 

Paisagem marciana é extremamente árida e quente de dia, fria a noite, por conta de sua atmosfera muito estreita e incapaz de reter o calor durante a noite. Foto: Robô Curiosity / NASA.

Júpiter

Júpiter é o maior planeta do Sistema Solar, está a 5,2 U.A. do Sol e possui o ano com duração de 4332,7 dias e o dia com quase dez horas. Júpiter é um planeta gasoso composto principalmente por hidrogênio e hélio e com um núcleo formado por uma liga de ferro-níquel e materiais rochosos. A medida que a profundidade aumenta, a pressão aumenta fazendo com que o hidrogênio líquido se torne metálico. Em sua atmosfera encontram-se suas famosas nuvens, incluindo a Grande Mancha Vermelha. Júpiter possui um sistema de anéis muito discreto (tanto que é imperceptível da Terra) e auroras em seus polos (similares à aurora boreal terrestre). Júpiter possui 79 luas conhecidas até hoje.

Júpiter. Ilustração: NASA.

Saturno

Saturno tem densidade menor do que a água e é composto por hidrogênio e pequenas quantidades de hélio e metano e orbita o Sol a 9,53 U.A. Seu dia dura 10h39min e seu ano, 29,5 anos terrestres. Assim como Júpiter, ele é marcado por largas faixas atmosféricas, porém mais discretas e também possui o núcleo composto por ferro-níquel e material rochoso. Existe um complexo sistema de anéis em volta de Saturno que estima-se conter 30% de água. Acredita-se que eles tenham se formado a partir de luas que se desfizeram ao sofrer impacto com cometas e meteoros. Em outubro de 2019 foram descobertos mais 20 satélites em Saturno, tornando-o o planeta com mais luas conhecidas, totalizando 82, contudo esse número atualiza frequentemente graças às novas descobertas astronômicas.

Saturno. Foto: NASA.

Urano

Urano tem um ano correspondente a 84 anos terrestres e um dia, a 18 horas e uma distância de 19,2 U.A do Sol. Sua atmosfera é composta de 83% de hidrogênio, 15% hélio e 2% metano (que causa sua aparência azulada). Nela estão nuvens que correm latitudinalmente, assim como dos outros planetas gasosos. Uma peculiaridade de Urano é que seu eixo de rotação é de 98o, e, por isso, os dias e as noites nos polos podem durar quarenta anos e, assim como Vênus, sua rotação é retrógrada. Urano conta com 27 luas conhecidas e discretos anéis.

Urano, fotografado pela sonda espacial Voyager 2, em 1986. Foto: NASA.

Netuno

Netuno tem sua órbita a 30 U.A., um ano de 164,8 anos terrestres e um dia de 16,11 horas. Sua atmosfera é composta por hidrogênio, hélio, água e metano (que o fornece a cor azulada) e suas partes mais internas são feitas de pedra fundida, água, amônia e metano. Em sua atmosfera encontra-se a Grande Mancha Escura com tamanho semelhante ao da Terra. Netuno possui 14 luas conhecidas e discretos anéis.

Netuno, em fotografia de 1989 feita pela sonda espacial Voyager 2. Crédito: NASA.

Netuno, em fotografia de 1989 feita pela sonda espacial Voyager 2, a aproximadamente 7 milhões de km da Terra. Crédito: NASA.

Todos os planetas se formaram na nuvem de gás onde o Sol se formou a partir do processo de acreção: partículas microscópicas se juntaram umas com as outras devido às forças eletrostáticas até adquirirem massa o suficiente para passar a juntar mais matéria através da força gravitacional, acelerando seu crescimento. Quando adquirem um certo tamanho, são considerados protoplanetas e continuam crescendo até atingirem seu limite de crescimento e então passam a colidir uns com outros e mudar suas órbitas. Por possuem núcleos bastante grandes, os planetas gasosos capturaram hidrogênio e hélio da nuvem inicial.

¹ 1 U.A. representa uma unidade astronômica e equivale à distância média da Terra ao Sol.

Referências:

https://www.iau.org/static/archives/releases/doc/iau0603.doc | Acesso em 26 de outubro de 2019

http://minerva.union.edu/parkashv/planets.html | Acesso em 01 de dezembro de 2019

http://astro.if.ufrgs.br/solar/homepage.htm | Acesso em 02 de dezembro de 2019

https://www.nationalgeographicbrasil.com/espaco/2019/10/com-20-novas-luas-saturno-bate-recorde-do-sistema-solar | Acesso em 02 de dezembro de 2019

https://solarsystem.nasa.gov/moons/overview/ | Acesso em 02 de dezembro de 2019

Arquivado em: Astronomia, Sistema Solar