Alan Turing

Ensino Superior em Comunicação (Universidade Metodista de São Paulo, 2010)

Alan Mathison Turing foi matemático e cientista pioneiro no campo da inteligência artificial, tornando-se referência mundial como o grande nome no campo da ciência da computação. Com ideias e projetos visionários considerados revolucionários para a época, suas contribuições foram muito importantes para o desenvolvimento do sistema de computadores que utilizamos hoje.

Nasceu em 23 de junho de 1912 em Paddington, Londres. Durante sua infância foi um garoto dono de uma mente lógica e autônoma que já demonstrava paixão pela ciência testando suas próprias experiências primitivas de química.

Alan Turing aos 16 anos (1928).

Aos 13 anos ingressou na Sherbone School, conceituada escola da capital inglesa. Nesse período Turing se dedicava à corrida, seu esporte favorito, e também adorava ler conteúdos sobre Matemática e Física. Apesar das pesquisas, leituras e estudos que fez durante a juventude, foi sua amizade com Christopher Morcom que contribuiu decisivamente para o desenvolvimento acadêmico de seus projetos. Quando se conheceram a empatia foi instantânea, ambos tinham muitas afinidades intelectuais e compartilharam hipóteses científicas durante 2 anos, até Morcom falecer repentinamente. Aproximadamente 3 anos após essa fatalidade, Turing assumiu a missão de realizar tudo que idealizou em sua breve parceria com Morcom. Dedicou-se aos estudos frequentando as universidades de Manchester, Cambridge e Princeton; aprofundando seus conhecimentos em matemática, mecânica quântica e lógica. Fomentado na mistura desses conceitos, publicou em 1937 o artigo “Sobre as Máquinas Computáveis”, onde defendia a existência de problemas e cálculos sem solução. Além de embasamento teórico inovador, o conteúdo descrevia uma aplicação prática: um processo mecânico baseado em fórmulas matemáticas e cálculos em sistema binário, que podia solucionar problemas através de uma sequência de etapas. Esse mecanismo foi considerado a base para o desenvolvimento da computação moderna.

Durante esse período, o mundo vivia a Segunda Guerra Mundial com Adolf Hitler disseminando o medo. O exército nazista mantinha a alta confidencialidade de suas mensagens telegrafadas codificadas por uma máquina chamada “Enigma”. Em 1939 o exército britânico convoca Alan Turing secretamente, para o desafio de quebrar os indecifráveis códigos alemães. O matemático teve sucesso na missão ao projetar e ajudar na construção do “Colossus” em 1943, a máquina que deu vantagem decisiva para interpretar as mensagens e abater os submarinos inimigos. O mecanismo era composto por 8 grandes gabinetes de 2,3 metros de altura, divididos em 2 seções com 5,5 metros de comprimento que possibilitava a leitura de 5 mil caracteres por segundo. Foram produzidas 10 unidades do Colossus durante a participação de Turing no projeto, que se manteve confidencial até a década de 1970.

Colossus, a máquina de Alan Turing que decifrou o Enigma.

No início dos anos 1950 Alan Turing declarou ser homossexual, opção considerada ilegal no Reino Unido naquela época. Essa informação causou sua condenação pelo crime de indecência no ano de 1952. Foi oferecida liberdade a ele, sob a condição de realizar terapia de castração química tomando injeções de hormônio. Turing se submeteu ao tratamento, mas a partir de sua condenação por homossexualismo ficou vetado de participar dos estudos sobre computadores. O cientista sofreu muito com essa restrição e também com os efeitos colaterais do tratamento.

Em 8 de junho de 1954 Alan Turing foi encontrado morto em sua residência, envenenado por cianureto. Seu corpo foi cremado em 12 de junho de 1954. O inquérito na época apontou que foi cometido suicídio, mas biógrafos e estudiosos concluíram posteriormente que Turing sofreu de grave intoxicação cumulativa pelos remédios que tomou durante o cumprimento de sua pena.
Em 1967 as leis do Reino Unido deixaram de considerar a homossexualidade crime. Em 2009 o primeiro ministro Gordon Brown pediu desculpas publicamente pela condenação de Turing em nome do governo britânico. E somente em 2013 a Rainha Elizabeth II concedeu o perdão ao matemático pela condenação sofrida no passado. Essa atitude incentivou a aplicação da “Lei de Turing” em 2017, concedendo indulto e perdão legal aos 50 mil homossexuais condenados naquela época. Em 2014 foi lançado o filme que retrata a trajetória de Alan Turing, intitulado “O Jogo da Imitação”.

Fontes:

https://revistagalileu.globo.com/Cultura/noticia/2018/06/17-fatos-e-curiosidades-sobre-vida-do-alan-turing.html

https://www.tecmundo.com.br/historia/40576-colossus-heroi-de-guerra-e-um-dos-primeiros-computadores-do-mundo.htm

https://super.abril.com.br/tecnologia/alan-turing-2/

https://www.turing.org.uk/publications/dnb.html

Arquivado em: Biografias