Antoni Gaudí

Mestre em História da Arte (Unicamp, 2019)
Bacharel e licenciado em História (USP, 2004)

Antoni Gaudí nasceu em 25 de Junho de 1852 na cidade de Reus, na Catalunha. Aos 17 anos mudou-se para Barcelona, onde já vivia um de seus irmãos. Em 1873 ingressou no curso de arquitetura da Escola de Belas Artes, posteriormente chamada de Escola de Arquitetura da Universidade de Barcelona.

Retrato de Antoni Gaudi em 1878. Foto: Pablo Audouard Deglaire (1856 - 1919)

Concluiu os estudos em 1878. Nesse mesmo ano conheceu o conde Eusebi Güell, que se tornaria seu principal mecenas. Recebeu, também, a encomenda de Manuel Vicens i Montaner, o que daria origem à Casa Vicens. A ornamentação da Casa Vicens representa uma colagem dos estilos espanhol, árabe e persa, apontando para uma imprecisão de classificação que ficaria ainda mais evidente nas construções posteriores de Gaudí.

Casa Vicens, desenhada por Antoni Gaudí. Foto: EQRoy / Shutterstock.com

O Palácio Güell foi a primeira grande obra encomendada por Guell. O magnífico palácio em estilo gótico serviu de residência para a família Guell e também para reunir sua coleção de antiguidades.

Palácio Guell, projetado por Antoni Gaudí. Foto: Giancarlo Liguori / Shutterstock.com

Em projetos feitos depois, como a Casa Milà, Gaudí já exibia o estilo único que o consagrou. Havia uma liberdade em relação às concepções arquitetônicas tradicionais empregadas na construção de casas. É notável, também, a utilização de formas mais próximas à natureza.

O Parque Güell possui uma extensão de mais de 17 hectares e está repleto de formas onduladas, colunas em formato de árvores, figuras de animais e formas geométricas, em que a maior parte está decorada com mosaicos coloridos feitos com pedaços de cerâmicas.

A Basílica da Sagrada Família foi o maior projeto de Gaudí, com o qual esteve comprometido de 1883 até 1926, ano de sua morte. Cada aspecto da construção desempenha simultaneamente um papel estrutural, ornamental e simbólico. Além de constituir uma empreitada grandiosa e dispendiosa, o arquiteto mudava o projeto durante a construção, o que fez com que o tempo de execução crescesse cada vez mais.

Atualmente, a Templo Expiatório da Sagrada Família ainda se encontra em processo de construção, com previsão de término para 2026.

Templo Expiatório da Sagrada Família. Foto: Iakov Filimonov / Shutterstock.com

No dia 7 de junho de 1926, Gaudí foi atropelado por um bonde quando cruzava a Gran Via com a Calle Bailèn de Barcelona. Em consequência das feridas, Gaudí faleceu no dia 10 de junho de 1926, no Hospital de Santa Cruz e foi sepultado na Cripta da Sagrada Família.

Foram obras de Gaudí: Cooperativa Mataronense (1878-1882); El Capricho(1883-1885); Pavilhões Güell (1884-1887); Colégio Teresiano (1888-1889); Palácio Episcopal de Astorga (1889-1915); Casa Botines (1891-1894); Torre Bellesguard (1900-1904); Jardins Artigas (1905-1906).

A avaliação do trabalho arquitetônico de Gaudí é notável pela sua escala de formas, texturas, e policromia, e pela maneira livre e expressiva como estes elementos da sua arte se conjugam, na mais forte síntese do Modernismo catalão.

A geometria complexa de um edifício de Gaudí coincide com a sua estrutura arquitetônica em que o todo, incluindo a sua fachada, dá à aparência de ser um objeto natural conformando-se completamente com as leis da natureza. Tal sentido da unidade total informou também a vida de Gaudí, já que não havia uma distinção entre sua vida pessoal e  profissional.

Fontes:

CRIPPA, Maria Antonieta. Antoni Gaudí. Taschen. 2004

BENEVOLO, Leonardo. História da Arquitetura Moderna. São Paulo: Editora Perspectiva, 2001.

Arquivado em: Arquitetura, Biografias