Kurt Gödel

Bacharel em Matemática (FMU-SP, 2018)
Mestrando em Física Teórica (UNICSUL, 2018-atualmente)

Kurt Friedrich Gödel foi um matemático e filósofo austríaco e posteriormente naturalizado norte-americano, nascido no dia 28 de abril de 1906. Gödel é considerado como um dos mais importantes lógicos de todos os tempos.

Kurt, descendentes de alemães, era filho de um gerente de uma indústria têxtil. Teve uma influência familiar, e de seus ancestrais, muito forte em sua infância. Como era uma criança muito curiosa, era carinhosamente apelidado de “Senhor Por Quê?”. Formou-se com louvor no ensino básico na escola alemã de Brünn com um excelente desempenho em história e matemática. Em 1920, seu interesse por matemática e filosofia aumenta, e então se debruça sobre obras de Newton, Kant e Goethe.

Gödel inicialmente queria estudar Física Teórica, mas optou pela Matemática e Filosofia na Universidade de Viena. Começou estudando teoria dos números, mas quando teve contato com a obra Introdução à Filosofia Matemática, de Bertrand Russell, Gödel então se interessa pela lógica matemática. Segundo ele, a lógica matemática era a uma ciência primordial a todas as outras, pois continha todas as ideias subjacentes a todas as ciências. Ele participou também de uma palestra ministrada por David Hilbert, palestra tal que definiu os rumos da carreira de Gödel. Em 1928, uma das publicações de Hilbert daquele ano chamada Princípios da Lógica Matemática, Hilbert propõe a necessidade de definir um sistema de axiomas na matemática que contenham uma descrição exata e completa das relações entre as ideias básicas da matemática, com a requisição de que elas não sejam contraditórias, mas sim que respeitassem a lógica formal. Tal problema foi escolhido por Gödel para tornar-se o tópico de seu trabalho de doutorado e, mais tarde, esse problema ficaria conhecido como Teorema da Incompletude de Gödel.

Doutorando-se em 1930, Gödel recebe sua habilitação em 1932 e no ano seguinte torna-se um professor não remunerado na Universidade de Viena. Neste ano, com a ascensão do partido Nazista e o controle total do governo sobre as universidades da Áustria, Gödel desenvolveu sintomas paranoicos devido ao medo de ser perseguido e envenenado. Como consequência, passou alguns meses em um sanatório. Em 1939, no início da segunda guerra mundial, Gödel e sua esposa partem definitivamente para Princeton, Estados Unidos. Einstein também morava em Princeton nesta época e tornaram-se amigos.

Gödel tornou-se membro permanente do Instituto de Estudos Avançados de Princeton em 1946, parando de publicar novos trabalhos neste ano e dedicando-se apenas à docência, posteriormente sendo nomeado professor catedrático do instituto em 1957 e professor emérito em 1976. Gödel teve um fim de vida atribulado, sofrendo intensos períodos de instabilidade mental e seu medo patológico por envenenamento aumentou drasticamente. Devido a sua obsessão, Gödel só se alimentava se a sua esposa fizesse sua comida, mas em 1977, sua esposa adoeceu ficou internada por um período de 6 meses. Então Gödel não se alimentava mais, morrendo de desnutrição e inanição causada pelo seu distúrbio mental, pesando apenas 29kg, no dia 14 de janeiro de 1978. Em 1987 a Sociedade Kurt Gödel foi nomeada em sua homenagem, que é uma sociedade internacional que promovem pesquisas na área da lógica, filosofia e história da matemática.

Referências bibliográficas:

BOYER, Carl B. História da Matemática. São Paulo: Blucher, 2012.

ROQUE, Tatiana. História da Matemática – Uma visão crítica, desfazendo mitos e lendas. São Paulo: Zahar, 2012.

ROONEY, Anne. A História da Matemática. São Paulo: M. Books do Brasil Editora, 2012.

Arquivado em: Biografias