Anêmona-do-mar

Mestre em Dinâmica dos Oceanos e da Terra (UFF, 2016)
Graduada em Biologia (UNIRIO, 2014)

Com cores vibrantes e tentáculos que parecem pétalas, as anêmonas-do-mar são frequentemente confundidas com flores, mas são animais do filo Cnidaria.

Características

As anêmonas-do-mar compõe a Classe Anthozoa, que pertence ao filo Cnidaria. Seu corpo pode ser dividido em três partes principais: o disco pedal, estrutura adesiva que facilita a fixação do animal no substrato; corpo cilíndrico, que pode variar entre 2,5 centímetros e 1,5 metros de comprimento; e disco oral, cercado por tentáculos em forma de pétala, que são responsáveis pela captura de alimento. Embora as anêmonas-do-mar sejam organismos sésseis frequentemente observados sobre corais e rochas, estas podem se movimentar lentamente através do deslocamento de seu disco pedal ou por contrações corporais, que se assemelham a pequenos pulos.

Anêmonas-do-mar, fixadas em um recife de corais. Foto: fatamorgana-999 / Shutterstock.com

Parentes das águas-vivas, as anêmonas-do-mar compartilham com estes animais a principal característica do filo Cnidaria: a presença de cnidócitos (ou cnidoblastos), células especializadas na injeção de uma neurotoxina paralisante em suas presas. Os cnidócitos são encontrados nos tentáculos das anêmonas, e têm como características o formato de cápsula e uma estrutura chamada cnidocílio, que atua como um gatilho; quando este é estimulado, o nematocisto é projetado para fora da cápsula e se prende ao corpo da presa, liberando uma substância urticante capaz de paralisar ou matá-la. É através desse aparato que as anêmonas consomem suas presas preferidas como pequenos peixes, camarões ou caranguejos. Os nematocistos também são usados na defesa contra predadores, embora espécies de lesmas-do-mar do gênero Aeolidia apresentem trato estomacal revestido a fim de evitar lesões por nematocistos não-descarregados; estes, podem ser retidos pela lesma e passam a ser usados em sua própria defesa. Disputas territoriais entre anêmonas também representam outra situação em que os nematocistos podem ser utilizados.

As anêmonas-do-mar são animais invertebrados, ou seja, não possuem vértebras e esqueleto ósseo. Em contrapartida, muitas espécies de antozoários são capazes de secretar um exoesqueleto de carbonato de cálcio que auxilia na proteção e sustentação do indivíduo. As anêmonas não possuem órgãos sensoriais, mas conseguem distinguir entre materiais comestíveis e não-comestíveis; inclusive, após ingerir uma presa esses animais expelem suas partes não-comestíveis como vértebras, ossos e conchas.

A maioria das espécies de anêmonas se reproduzem de forma sexuada, isto é, macho e fêmea liberam esperma e óvulos na coluna d’água, respectivamente, onde ocorre a fecundação. Em alguns casos, o esperma do macho pode adentrar a cavidade gastrovascular da fêmea, fertilizando seus ovos ainda em seu corpo. Este processo dá origem à uma larva ciliada plânula, que se dispersa para novas áreas antes de se transformar em um adulto séssil, aumentando a área de distribuição da espécie. As anêmonas-do-mar também podem se reproduzir de forma sexuada pelo mecanismo de fissão, que consiste na divisão longitudinal de seu corpo, formando dois indivíduos.

Relações simbióticas

O peixe palhaço (Amphiprion ocellaris) costuma utilizar anêmonas-do-mar como local de refúgio contra predadores. Foto: blue-sea.cz / Shutterstock.com

As anêmonas realizam interações simbióticas com espécies de algas, peixes e outros invertebrados. Estes cnidários oferecem proteção e maior exposição solar às algas, que em troca fornecem oxigênio e açúcar (produtos da fotossíntese) para as anêmonas. Já os peixes do gênero Amphiprion, conhecidos popularmente como peixes-palhaço, utilizam as anêmonas-do-mar como seu habitat. Estes animais são protegidos por uma camada de muco que os torna imunes à substância urticante liberada pelo nematocisto, encontrando nas anêmonas proteção contra predadores. Por outro lado, estes cnidários se beneficiam de restos de alimentos consumidos pelos peixes.

Referências:

Britannica. Sea anemone. Disponível em: https://www.britannica.com/animal/sea-anemone

Eletronic Atlas of the Wildlife of British Columbia. Disponível em: https://ibis.geog.ubc.ca/biodiversity/efauna/IntroductiontoSeaAnemones.html

National Geographic. Sea anemone. Disponível em: https://www.nationalgeographic.com/animals/invertebrates/group/sea-anemones/

Arquivado em: Cnidários