Divisão Euglenophyta (euglenofíceas)

Os organismos da divisão Euglenophyta (euglenofíceas ou euglenófitas) são eucariontes, dotados de um núcleo mesocariotico, apresentam clorofila a e b, xantofilas e carotenos como pigmentos. Não possuem parede celular, porém apresentam uma película proteica organizada em forma de espiral em volta do citoplasma. São dotadas de um ou dois flagelos que auxiliam na locomoção e alimentação. A película da membrana plasmática auxilia na locomoção em ambientes onde o movimento dos flagelos é dificultado.

Existem cerca de 800 espécies descritas que ocorrem no ambiente marinho e de água doce. Um terço deste grupo possui cloroplastos, pigmento que confere cor verde, as outras são incolores e saprófitas. As clorofiladas são encontradas com maior freqüência em ambientes ricos em matéria orgânica, pois podem assimilá-las.

Existe apenas um gênero que forma colônia, todo o restante é unicelular, apresentando um flagelo e uma macha ocelar na região anterior.

O representante mais conhecido é a euglena. Ela é unicelular, não possui parede celular, mas possui membrana plasmática, dotada de uma película que pode ser flexível ou não, ajudando na locomoção.

O flagelo da euglena se insere em uma depressão chamada reservatório. Nele há outro flagelo, que não emerge.

Próximo ao reservatório, há o estigma, ou macha ocelar, que se localiza no citoplasma e é uma estrutura fotossensível.

As euglenas possuem um vacúolo contrátil, que controla a quantidade de água em seu interior. Normalmente ocorrem em espécies de água doce, atuando no controle da osmose. A água é eliminada pelo reservatório, após isso um novo vacúolo é formado.

O produto de reserva da euglenas é o paramilo, um tipo de polissacarídeo que é estocado pelos plastídeos e possui uma região rica em proteína, chama pirenóide.

Na pirenóide estão localizadas enzimas relacionadas com a fotossíntese.
As euglenas se reproduzem assexuadamente por mitose seguida de divisão binária longitudinal.

Arquivado em: Reino Protista