Deserto de Chihuahua

Graduado em Geografia (UFG, 2017)

O Deserto de Chihuahua, localizado na América do Norte mais precisamente na parte oeste do Texas, tem extensão territorial de 362.000 quilômetros quadrados e é o terceiro maior deserto do hemisfério ocidental e o segundo da América do Norte.

É limitado à Nordeste pelo Estado do Arizona, ao Norte pelo vale do Rio Grande e ao Sul pelo Planalto Mexicano.

Ambiente do Deserto de Chihuahua com a cordilheira ao fundo. Foto: bwancho / iStock.com

Clima do Deserto de Chihuahua

O clima característico do Deserto de Chihuahua é o árido. Sua principal característica são suas elevadas temperaturas que ultrapassam facilmente os 40 °C. O baixo índice pluviométrico é outro elemento presente nesse tipo climático, em que no deserto os níveis de precipitação anual variam entre 100 a 200 milímetros na época do verão.

Outro elemento climático presente no Deserto são as elevadas amplitudes térmicas, ou seja, a grande diferença entre a maior e a menor temperatura diária. Isso ocorre a partir de seus solos arenosos, que ganham calor facilmente, assim como perdem com a mesma facilidade, ocasionando em noites frias. No período do inverno, o Deserto de Chihuahua registra temperaturas abaixo de zero.

O Deserto de Chihuahua é do tipo continental, ou seja, é um tipo desértico que tem seu clima seco por conta do bloqueio às massas de ar úmidas provenientes das águas próximas do Pacífico, que ocorrem da seguinte forma:

  • As massas de ar oceânicas se formam no Oceano Pacífico carregadas de umidade;
  • Quando formadas, as massas de ar adentram ao continente, até encontrarem a Cordilheira de Sierra Madre Occidental, que tem altitudes de até 3250 metros.
  • Ao encontrar essa barreira orográfica, a massa de ar ascende e precipita perdendo sua umidade, chegando totalmente seca no Deserto de Chihuahua.

Fauna e Flora do Deserto de Chihuahua

O Deserto de Chihuahua é o ambiente desértico com a maior quantidade de biodiversidade no Planeta. Estima-se que em seu interior existem aproximadamente 3500 espécies vegetais, sendo 1000 endêmicas, ou seja, plantas que se desenvolvem apenas nesse meio.

No Deserto é comum encontrar cactos, diferentes tipos de arbustos endêmicos - como guamis, hojaén, mariola e guayacán -, capim perene, arvoredos, entre outros. Essa diversidade na vegetação se processa pelos seguintes fatores:

  • O Deserto está próximo de dois rios importantes na região – o Rio Grande e o Rio Bravo -, em que a água disponível nas proximidades do deserto possibilita o desenvolvimento dessas espécies vegetais;
  • Além da proximidade com esses rios, o Deserto também recebe umidade a partir do degelo de neve presente no cume da Cordilheira de Sierra Madre Occidental;

A fauna do Deserto é composta por espécies animais que tem mecanismos de adaptação para o clima característico desse ambiente. Entre eles os principais são o Lobo Mexicano – que tem sofrido risco de extinção -, a víbora cascavel – que tem um veneno capaz de matar 20 homens juntos -, coiote, tartaruga do deserto, urso, onça e o veado marrom.

A energia solar no Deserto de Chihuahua

Apesar do petróleo ser a fonte energética mais utilizada no Planeta, inclusive sendo motivo para o acirramento de alguns conflitos geopolíticos, sua abundância no mundo tem prazo de validade e demanda aos países iniciativas para encontrar fontes energéticas alternativas.

A energia solar é uma dessas alternativas, pois é um recurso natural renovável e não poluente. Regiões de baixa latitude com climas tropicais quentes e desérticos são os principais lugares onde são rentáveis o investimento nesse tipo energético, pois são os locais de maior incidência dos raios solares no Planeta Terra.

No extremo norte do Deserto de Chihuahua, em meio a superfície arenosa, existe uma imensidão azul que cobre uma extensa área que equivale a 2,2 mil campos de futebol, onde abriga o maior parque solar da América Latina. Nomeada de Usina de Villanueva, o parque tem 2,3 milhões de painéis solares – responsáveis por captar a luz solar -, e que quando atingirem sua capacidade total de trabalho, poderão fornecer eletricidade para 1,3 milhões de residências mexicanas.

Arquivado em: Biomas, México