Clima do Piauí

Graduado em Geografia (UFG, 2017)

O Piauí, localizado na Região Nordeste do Brasil, tem uma extensão territorial de 251.576,644 quilômetros quadrados, divididos em 224 municípios. Por conta de sua localização, o Estado está entre duas zonas de transição: o Nordeste semiárido e a Amazônia úmida. Desse modo, o clima do Piauí apresenta dois tipos climáticos: o clima Tropical quente e úmido – que tem influência do ambiente amazônico – e o clima Semiárido – que herda características do Sertão Nordestino.

Os climas presentes no Piauí

As partes Oeste, Sudoeste do Piauí estão sob influência do clima Tropical quente e úmido. As temperaturas nas regiões que possuem esse tipo climático variam entre 18°C e 30°C. Anualmente, a precipitação anual varia entre 1000 mm e 1800 mm. Esse tipo climático apresenta duas estações bem definidas: a chuvosa que ocorre entre os meses de Dezembro e Maio e a seca que acontece entre Junho e Novembro.

Nas porções Leste e Sudeste do Estado do Piauí, encontra-se os 148 municípios – cerca de 62% no Estado - que tem como clima característico o Semiárido. Os índices pluviométricos variam de 500 a 800 mm – chovendo duas vezes menos que o restante do estado -, com chuvas bem irregulares durante o ano, longos períodos de estiagem – podendo chegar até 8 meses sem chuvas – e altas temperaturas, que variam de 23 °C a 40°C. As chuvas ocorrem durante o verão, entre os meses de Dezembro e Março.

Mapa de precipitação do Piauí. Fonte: EMBRAPA (2004)

Por que não chove no sertão nordestino?

Essa região que está inserida na sub-região do Sertão Nordestino, tem uma baixa pluviosidade que se processa a partir dos seguintes fatores:

  • A massa de ar Equatorial (quente) Atlântica (úmida), que se forma na região oceânica próxima a Linha do Equador, adentra a região nordestina, levando umidade por meio de ventos alísios para o interior da região.
  • Ao encontrar o Planalto da Borborema – a massa de ar é impedida de continuar seu deslocamento pelo continente, e ganha altitude. Nessa ascensão na atmosfera, ela precipita, e ocasiona as chuvas orográficas.
  • Após chover, a massa de ar perde sua umidade, chegando seca na região do sertão nordestino, impedindo a formação de chuvas;
  • Além dessa influência do relevo nas chuvas, a Região Nordeste é uma área de alta pressão, que tem tendência de afastar ventos úmidos impedindo a entrada de massas de ar úmidas na área do sertão, contribuindo para a ausência de chuvas.
  • As altas temperaturas nessa região, vem também do aumento da temperatura do Oceano Pacífico, fenômeno chamado de El Niño.

A influência do Clima Semiárido no Piauí

Sabemos que o clima é um fator que influencia diretamente no modo de vida das pessoas e até mesmo na economia de uma determinado lugar. Na região piauiense inserida no sertão nordestino, a situação não é diferente. Por conta de seus longos períodos de estiagem, vários municípios do Piauí tem economias pouco desenvolvidas e baixos índices sociais.

Por conta da ausência de chuvas, muitos rios são intermitentes – ou seja, ficam secos durante o período de estiagem – e açudes secam. Essa ausência de água dificulta atividades como a agricultura e a pecuária, e ao acesso à água para o abastecimento da população.

Vista de um açude seco por conta do período de estiagem no Piauí. Foto: Helissa Grundemann / Shutterstock.com

Essas atividades são as bases econômicas da Região Semiárida piauiense onde predomina a agropecuária, com a produção de carnaúba, milho e cana-de-açúcar, e outras culturas temporárias que ocorrem devida à sazonalidade do clima semiárido. Na pecuária destaca-se a criação de ovinos – ovelhas – e caprinos – cabras -, que são animais que melhor se adaptam com o clima da região.

O sertão do Piauí é uma das regiões mais pobres do país, onde maioria de seus municípios não tem saneamento básico, tem um dos menores IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do Brasil – 0,581. Grande parte da população tem como fonte de renda os benefícios oriundos de assistências governamentais, que os ajudam na compra de alimentos e água.

Leia também:

Referências:

https://portal.insa.gov.br/images/acervo-livros/Semi%C3%A1rido%20Piauiense%20Educa%C3%A7%C3%A3o%20e%20Contexto.pdf

http://files.iracildefelima.webnode.com/200000035-72dff73d90/Defini%C3%A7%C3%A3o%20atual_%20Amb.%20Semi-%C3%A1rido_2004.pdf

http://seer.cgee.org.br/index.php/parcerias_estrategicas/article/viewFile/850/778

Arquivado em: Piauí