Deserto da Judeia

Graduado em Geografia (UFG, 2017)

O Deserto da Judeia situado na parte sul de Israel fica entre a margem oeste do Mar Morto e do Mar Mediterrâneo. Com uma área de aproximadamente 1.500 quilômetros quadrados fica bem próxima de Jerusalém, e se caracteriza por ter uma paisagem cercada de montanhas, penhascos, sítios históricos, mosteiros e uma grande diversidade natural.

Mapa da localização do Deserto da Judeia em Israel e territórios disputados. Fonte: Hara.ss / via Wikimedia Commons / CC-BY-SA 4.0

A formação geológica do Deserto

O Deserto da Judeia não necessariamente é um deserto de areia, mas uma região árida constituída de formações sedimentares que surgiram na época pré-histórica que se originaram no fundo de um lago salgado.

Muitos cientistas afirmam que a região do deserto naquela época era um extenso lago de água salgada, que perdeu seus minerais ao longo do tempo, que foram escoados para o atual Mar Morto. Sendo assim, o lago sofreu com o acúmulo de sal, que acelerou a evaporação de suas águas, e ocasionou o ambiente desértico da Judeia.

Ao longo de seu cenário, o Deserto da Judeia é repleto de diferentes formas naturais que vão mudando rapidamente ao longo de sua extensão. É muito comum notar montanhas, colinas de cal, leitos de rios e vales profundos. Alguns desses rios são perenes – tem água o ano todo – e dão origem a alguns oásis ao longo do deserto. Na parte leste, é comum ver a ocorrência de falésias próximas ao Mar Morto, e algumas reservas naturais famosas como a Ein Gedi.

Cachoeira no oásis de Ein Gedi, no deserto da Judeia. Foto: Tutti Frutti / Shutterstock.com

Observação: A reserva natural de Ein Gedi é um oásis que está no extremo oriente do Deserto da Judeia. É muito conhecida pelas suas grutas, nascentes e sua rica diversidade na fauna e flora. A reserva também é destaque por conta de suas várias menções nos escritos bíblicos. Por conta de suas belezas naturais e de sua história religiosa, Ein Gedi atrai muitos turistas do mundo afora.

Clima do Deserto da Judeia

O clima desértico ou árido é o tipo climático presente na região do Deserto da Judeia, caracterizado por um baixo índice pluviométrico, temperaturas altas durante o dia, seguida de queda acentuada no período noturno, acarretando em uma alta amplitude térmica em seu ambiente.

A temperatura média da região que se encontra o Deserto da Judeia pode chegar a 40 graus durante o verão, e 0 graus durante o inverno.

A ocupação do Deserto da Judeia

Por ser um ambiente seco e quente, o Deserto da Judeia é pouco povoado. Por conta de seu relevo acidentado, muitos rebeldes, fanáticos religiosos, monges e eremitas se isolam e escondem no meio das montanhas do deserto para ter seus momentos de solidão e isolamento. Também vivem no local comunidades beduínas e árabes que tem costumes nômades e sempre ocupam algumas regiões do deserto por um curto de período de tempo.

A importância religiosa do Deserto da Judeia

Por estar próximo a Jerusalém, o deserto tem um significado religioso muito forte para a população da região, e sobretudo para as religiões do cristianismo, judaísmo e islamismo.

Os cristãos, conforme suas crenças, acreditam que Jesus caminhou do Deserto da Judeia até Jesuralém, por cerca de 35 quilômetros. Por conta disso, é muito comum ver nas bíblias a menção do Deserto, considerado pelas histórias bíblicas um lugar sagrado e santificado.

Desse modo, o turismo religioso é muito forte na região do deserto que possui no seu interior muitos mosteiros. Muitos deles ainda estão ativos e são visitados por muitos turistas que vão para Israel para conhecer um pouco de suas histórias e tradições religiosas.

Os mosteiros são grandes construções ondem vivem vários membros de ordens religiosas. Geralmente, são os locais onde monges e eremitas se hospedam para se flagelarem e realizar seus longos períodos de jejum.

Mosteiros no deserto da Judeia. Foto: photosounds / Shutterstock.com

Por conta de sua tradição religiosa, os arredores do Deserto da Judeia possuem infraestrutura e opções de lazer para abrigar seus visitantes. Hotéis, expedições no Deserto, acampamentos, visitas aos mosteiros, são algumas das atividades que movimentam a economia da região.

Referências:

https://www.universia.com.br/estudarexterior/israel/cidades/jerusalem/clima/2022

http://www.ims.gov.il/IMS/CLIMATE/ClimaticAtlas/

http://revistaterrasanta.com.br/2016/11/16/deserto-da-judeia-aridez-irrigada-de-historias/

http://www.land-of-the-bible.com/pt/node/398

Arquivado em: Biomas, Israel, Oriente Médio