Economia do Maranhão

Graduado em Geografia (UFG, 2017)

O Maranhão é o segundo maior estado da Região Nordeste em extensão territorial, que divididos em 217 municípios possuem uma área de 1.554.300 km². Segundo estimativa do IBGE de 2018, a população do estado é de 7.035.055 habitantes.

Em 2015, o Maranhão teve um PIB de R$ 78,5 bilhões, que correspondeu a 1,3% do Produto Interno Bruto da economia brasileira e 9,2% do total da economia do Nordeste.

O contexto econômico maranhense

Há algumas décadas atrás, o Estado do Maranhão, no contexto econômico, esteve bastante isolado do restante dos estados brasileiros, e continha uma baixíssima produtividade econômica que acarretava em um PIB muito baixo. Entretanto, a partir dos anos de 1960 e 1970, o estado investiu e desenvolveu vários projetos para melhorar sua infraestrutura de transportes, ampliando sua integração as outras regiões do Brasil.

Dentre essas construções, destaca-se a implantação do complexo portuário do Itaqui, responsável por grande parte do transporte da produção de soja e milho, além da expansão da malha ferroviária e rodoviária que se constituem como importantes redes de integração do Maranhão com o restante do país.

Nas últimas décadas, a transformação da economia maranhense está vinculada aos investimentos em inovações tecnológicas, que estimularam a atração de empresas privadas no agronegócio, na entrada das indústrias de transformação, com destaque para o papel e a celulose, fabricação de bebidas e alimentos e a expansão da atividade metalúrgica.

A entrada de investimentos estrangeiros, seja no agronegócio ou no setor industrial, está vinculada a expansão da infraestrutura no estado, baseada no aumento da geração e distribuição de energia elétrica e na construção de diferentes modais de transportes, além do financiamento obtido junto à Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (SUDAM) e pela Superintendência do Nordeste (SUDENE).

A distribuição territorial das atividades econômicas

Em relação à distribuição territorial das atividades econômicas maranhenses, há uma particularidade econômica diferente a partir de cada mesorregião, que contribui de forma desigual para o montante do PIB do Estado.

Na mesorregião Norte, que abrange a capital São Luís e sua região metropolitana, foi responsável em 2015 por 48,3% do PIB Estadual. Nessa região destaca-se o setor de comércio e serviços, além da atividade industrial, composta em sua maioria, pela construção civil e pela indústria de transformação. Nessa parte do Estado maranhense também tem muita participação do turismo, sobretudo em seu litoral, segundo maior do Nordeste, que atrai muitos turistas brasileiros.

Na mesorregião Oeste do Maranhão, com destaque para Imperatriz, possui 52 municípios que produziram em 2015, 21,1% do PIB do Estado. Entre as atividades econômicas mais rentáveis podemos destacar as indústrias de construção civil e da indústria de transformação, em grande parte de celulosa à papel.

Na mesorregião Leste do Maranhão, composta por 44 municípios, produziu 12,2% do PIB maranhense em 2015. Suas atividades econômicas principais são a indústria de transformação, seguida pelo setor agropecuário, que atualmente tem tido um considerável crescimento, sobretudo com a produção de grãos – soja e milho -.

O Centro Maranhense, com 42 munícipios, contribuiu com 9,7% do PIB maranhense em 2015. Sua estrutura econômica está pautada na indústria extrativa mineral e na pecuária.

O Sul Maranhense, apesar de ter a menor participação dentre as mesorregiões citadas, 8,7% do PIB estadual em 2015, vem tendo um crescimento acelerado muito por conta da expansão da fronteira agrícola da soja que vem recebendo em alguns dos seus 19 municípios – como Balsas e São Raimundo das Mangabeiras-, contribuindo para o crescimento do Produto Interno Bruto do Maranhão.

As exportações maranhenses

Em 2018, dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) apontam que o valor total das exportações realizadas pelo Maranhão foi de aproximadamente 3,83 bilhões de dólares, que foram distribuídas da seguinte maneira:

Em 2018, houve um superávit em sua balança comercial chegando a 734 milhões de reais.

Mapa das mesorregiões maranhenses e sua participação do PIB. Fonte: BNB

Leia também:

Referências:

https://www.bnb.gov.br/documents/80223/1103955/Ano+3_n3_Set_2018.pdf/06d9f1df-e0be-e671-9852-0b9d436be9ea

https://www.ibge.gov.br/estatisticasnovoportal/economicas/contas-nacionais/9054-contas-regionais-dobrasil.html?=&t=resultados. Acesso em: 20 nov. 2018.

http://www.ma.gov.br/wpcontent/uploads/2012/03/Maranhão_novadecada.pdf. Acesso em: 14 mai. 2018.

Arquivado em: Maranhão