Expansão urbana

Graduado em Geografia (Centro Universitário Fundação Santo André, 2014)

O alastramento ou expansão urbana ocorre com crescimento do contingente populacional de uma região ou o aumento físico da área. Esses processos estão interligados e provocam uma redistribuição da população a partir deste crescimento.

Esse aumento da área urbana ocorre geralmente no sentido do centro para as áreas periféricas que o circundam, sendo um processo muitas vezes contínuo de expansão que também pode ocorrer das cidades para as áreas de campo mais próximas, aumentando a chamada mancha urbana. O processo também pode ocorrer do centro mais urbanizado para seu entorno pouco urbanizado nas periferias.

É importante compreender que cidade se refere a área urbana dentro de um município e campo é a área rural, podendo alguns municípios contarem com uma área totalmente urbana ou toda rural.

Entre as formas de alastramento urbano existem 5 que são chamadas de crescimento territorial urbano extensivo, que podem ser classificadas das seguintes maneiras:

  • Expansão por Dispersão Urbana: Essa forma de expansão do espaço urbano ocorre pela dispersão da população e de serviços em áreas ao redor do centro urbano, chamadas de núcleos secundários. Essas regiões secundárias possuem ligações de fluxos com o centro, fator que cria um sistema conectado entre esses espaços, assim ampliando esse território urbano.
  • Expansão por Difusão Urbana: Nesse caso há apenas a moradia da população nas áreas ao redor dos centros. Essa população que reside nessas áreas dependem do centro para serviços e empregos, criando dessa maneira um fluxo diário de ida e volta, assim acabam favorecendo a ampliação do espaço urbano para essas periferias. As áreas em que essas populações vivem nesse sentido são conhecidas por cidades dormitórios.
  • Expansão pela Soma de Novas Áreas à Mancha Urbana: Essa expansão ocorre pela transformação das áreas rurais em urbanas ao redor das cidades, formando assim novos bairros que ampliam o perímetro urbano dos grandes centros aumentando a área urbana.
  • Expansão Tentacular: Nesse modelo de alastramento o espaço urbano é ampliado através do sistema viário que faz a ligação entre os centros e as áreas periféricas. As periferias acabam possuindo uma grande ocupação por ter um acesso facilitado pelo transporte ao centro e um custo de vida mais baixo, com isso a ligação entre periferia e centro amplia o espaço urbano.
  • Expansão por Anéis Concêntricos: Nesse caso há um crescimento radial ao redor do centro urbano, que indica uma ocupação em camadas à sua volta, sendo essa uma expansão urbana que ocorre de forma mais homogênea ao entorno dos grandes centros, aumentando assim o espaço urbano.

Os alastramentos urbanos trazem fatores negativos para populações que residem nesses espaços e ao meio em que foram construídos. Por exemplo a necessidade de transportes motorizados, baixos níveis de caminhada que influenciam diretamente no aumento do sedentarismo e por consequência em problemas relacionados à saúde.

Loteamento de casas populares no Paraná. Geralmente esses loteamentos são construídos longe dos centros urbanos. Com o tempo, outros loteamentos e áreas de comércio e serviços são construídas próximas, contribuindo para a expansão urbana. Foto: rafapress / Shutterstock.com

Outro fator negativo associado a essa expansão urbana é a segregação socioespacial, que ocorre com a expulsão de classes com renda econômica mais baixa das áreas mais próximas aos centros, indo em direção às extremidades periféricas desse espaço urbano, que por vezes possuem baixa infraestrutura mantendo uma dependência de serviços nos grandes centros urbanos. Leia sobre gentrificação.

Em relação ao meio ambiente é visto que a expansão dos espaços urbanos requer desmatamento para ocupar aquele território com casas, avenidas, prédios, comércios e afins, com isso a vegetação que originalmente se localizava naquela área é prejudicada. Com isso outros problemas podem ocorrer como a formação de ilhas de calor, a baixa qualidade do ar, degradação do solo, entre outros.

Bibliografia:

ANDRESSA TEIXEIRA JAPIASSÚ, Luana; DULCE BARBOSA LINS, Regina. AS DIFERENTES FORMAS DE EXPANSÃO URBANA. Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades, [S.l.], v. 2, n. 13, nov. 2014. Disponível em:

https://www.amigosdanatureza.org.br/publicacoes/index.php/gerenciamento_de_cidades/article/view/764

Arquivado em: Geografia