Goiânia

Graduado em Geografia (UFG, 2017)

Goiânia é capital do estado de Goiás. Possui uma área aproximada de 728 km² e em 2018 apresentava uma população de 1.516.113 milhões de pessoas, segundo informações do Instituto Mauro Borges (IMB). A 210 km de distância de Brasília, capital federal, a cidade é o centro da Região Metropolitana de Goiânia (RMG), composta por 20 municípios e com 2,2 milhões de habitantes, tornando a RMG a décima região metropolitana mais populosa do país. O habitante que ali nasceu é denominado goianiense.

Mapa de Goiânia. Fonte: IBGE

Histórico

Goiânia foi fundada em 24 de outubro de 1933 por Pedro Ludovico Teixeira, então interventor federal do estado. Impulsionado pela Marcha para o Oeste, movimento de Getúlio Vargas que promovia a ocupação do centro-oeste brasileiro, a cidade foi construída para abrigar a nova capital de Goiás, visto que a antiga capital Vila Boa (atual Cidade de Goiás) não comportava a expansão territorial prevista para a sede administrativa do estado devido às condições físicas da área, tais como as irregularidades do terreno e as altas temperaturas.

Dentre as áreas propostas, escolheu-se àquela próxima a cidade de Campininha das Flores, uma vez que a região era dotada de superfície relativamente plana, com abundância em água, clima ameno e próxima a estrada de ferro.

Planejamento e Ocupação de Goiânia

Goiânia é uma das poucas cidades planejadas no Brasil. Foi projetada inicialmente pelo urbanista Atílio Corrêa Lima e planejada para abrigar 50 mil pessoas. O processo de migração para o município foi resultado de três importantes ações:

  • A divulgação nacional de lotes à venda na nova capital;
  • A mecanização dos serviços agropecuários, promovendo o êxodo rural em todo território brasileiro;
  • A construção de Brasília;

Com isso, Goiânia saltou de 48 mil habitantes da década de 40 para 390 mil habitantes na década de 70, segundo levantamento do IBGE. Em razão desse aumento populacional, a cidade começou a expandir horizontalmente para áreas além dos limites definidos no primeiro Plano Diretor.

A partir da década de 70 Goiânia passou a abrigar loteamentos distantes do centro urbano, visto a necessidade do crescimento territorial da cidade. Essa medida acarretou problemas que são visíveis até os dias atuais, como a precariedade no transporte público – visto a distância que a população mora do centro – além da ausência de infraestrutura básica – como iluminação pública, serviços de água e tratamento de esgoto – em boa parte desses loteamentos.

Vista aérea de Goiânia. Foto: Fernando Branco - AeroCam / Shutterstock.com

Relevo de Goiânia

Goiânia está localizada no planalto central, estando aproximadamente 750 metros acima do nível do mar. Caracterizada pelo terreno aplainado, Goiânia pouco apresenta variações bruscas de relevo. A maior elevação altimétrica do município é o Morro do Mendanha, com 841 metros de altitude, onde se encontram as antenas dos canais de televisão aberta da cidade.

Hidrografia

A cidade é abundante em água, tendo inúmeros córregos e ribeirões. Boa parte deles foram canalizados para abrigarem vias de trânsito rápido, como o Córrego Botafogo, que abriga a Marginal Botafogo, e o Córrego Cascavel, com a Marginal Cascavel. O abastecimento de Goiânia é oriunda dos leitos d’água maiores: o Rio Meia Ponte e, em caso de escassez, o Ribeirão João Leite.

Atualmente a situação hidrográfica do município constitui como um problema para o poder público. O escoamento ilegal das águas do Rio Meia Ponte por agroprodutores e por algumas indústrias estão comprometendo os níveis do rio. Além disso, os excessos de canalização das vias fluviais interferem no escoamento da água pluvial, que, em dias de chuva, não comportam o volume de água e acabam ocasionando enchentes, alagamentos e inundações em algumas partes do perímetro urbano.

Clima

O clima de Goiânia é definido como tropical, caracterizado por ser quente e seco. As chuvas iniciam-se em meados de outubro e vão até março. De abril até setembro a cidade passa pela estação seca, que compromete a vazão de água de seus principais rios. As temperaturas variam entre 13ºe 37º graus ao longo do ano, aproximadamente. Anualmente as precipitações em média chegam a 1400 mm.

Turismo em Goiânia

O turismo na cidade de Goiânia ocorre principalmente por conta dos megaeventos que a cidade aloja, como o Festival Villa Mix e o Festival Bananada, ambos festivais de músicas que acontecem anualmente no município. Por ser uma cidade interiorana e em uma área sem a presença de quedas d’água, o potencial turístico de Goiânia se resume aos parques, sendo os principais deles:

  • Parque Flamboyant;
  • Parque Vaca Brava;
  • Parque Areião;
  • Bosque dos Buritis;

Goiânia possui também um acervo arquitetônico Art Déco da década de 30 no Centro da cidade tombado pelo IPHAN em 2001. Contudo, esse patrimônio é pouco valorizado pelo poder público. A capital se destaca também pela quantidade de bares e feiras distribuídos por toda a cidade, além da culinária goiana: pamonha, pequi e o empadão goiano.

Economia de Goiânia

Goiânia é a maior economia do estado, tendo seu PIB aproximado em 46 bilhões de reais. As principais atividades econômicas do município são:

  • Saúde, sendo Goiânia referência em serviços de saúde, com clínicas e hospitais especializados em distintas áreas da medicina;
  • Atividades imobiliárias, com a atuação de incorporadoras e construtoras em diversas áreas da cidade;
  • Confecção, uma vez que Goiânia é um dos maiores polos de confecção de roupas e tecidos do país. O comércio da confecção em Goiânia também é forte na economia goianiense, com destaque para a Rua 44, Feira Hippie e a Avenida Bernardo Sayão, todas áreas de comercialização de roupas, que atrai uma grande quantidade de varejistas de todo o país.

Aspectos Populacionais

A densidade demográfica da cidade, segundo o Censo de 2010 do IBGE, é de 1776,74 hab/km². Nos últimos anos, Goiânia é uma das capitais brasileiras que apresentam um dos maiores índices de crescimento demográfico, que deve continuar pelos próximos anos.

Entre os fatores de crescimento demográfico destaca-se a entrada de migrantes que hoje habitam Goiânia. Boa parte deles são oriundos do Norte e Nordeste do país, de classe social baixa e que almejam condições melhores de vida. Essa procura por Goiânia que ocorre desde os primeiros anos da cidade, acarretou na miscigenação em seu arranjo populacional, visto que o processo de ocupação territorial da capital permanece até os dias atuais.

Referências Bibliográficas:

http://www4.goiania.go.gov.br/portal/goiania.asp?s=2&tt=con&cd=1964

https://censo2010.ibge.gov.br/sinopse/index.php?dados=6

http://www.imb.go.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=79&Itemid=145

Arquivado em: Goiás