Paisagem natural

Especialista em Geografia do Brasil (Faculdades Integradas de Jacarepaguá, RJ)
Mestre em Educação (Estácio de Sá, 2016)
Graduado em Geografia (Simonsen, 2010)

Por paisagem natural estamos falando daquela paisagem que não sofreu influência humana, em outras palavras, toda paisagem não foi humanizada (antropizada). Também pode ser definida como aquela paisagem composta apenas por elementos naturais. Alguns exemplos de paisagens naturais incluem geleiras, desertos, florestas, savanas, o fundo do mar, pântanos e outros.

As paisagens podem ser classificadas em naturais ou em culturais, aquelas que são formadas apenas por elementos naturais são as paisagens naturais, as que possuírem elementos culturais (podendo ou não ter elementos naturais juntos) são chamadas culturais.

Em um mundo cada vez mais impactado pela ação humana, cada vez se tornam mais reduzidas as áreas com paisagens naturais. O que levanta algumas polêmicas sobre o próprio conceito nos dias de hoje, já que quase não temos mais lugares sem influência da ação humana (direta ou indiretamente). Um bom exemplo é pensar no Ponto Nemo ou ponto de Inacessibilidade do Pacífico, ou seja, o ponto mais distante de qualquer local habitado por seres humanos no Oceano Pacífico.

Chapada dos Guimarães, paisagem natural localizada no Mato Grosso. Foto: Fred Cardoso / Shutterstock.com

No entanto, apesar da ausência de seres humanos, o ponto Nemo não apresentaria normalmente um bom exemplo de paisagem natural, pois para lá são levados pelas correntes marinhas o lixo humano descartado em várias áreas do Oceano Pacífico, sem falar no lixo espacial.

Outro exemplo que normalmente confunde as pessoas são as grandes plantações nas áreas rurais, pois, apesar do domínio dos elementos mais naturais (plantas e animais), eles estão ali modificados e ordenados pelos seres humanos.

As plantas presentes em uma fazenda não são colocadas ali pela natureza, mas são escolhidas, organizadas e plantadas pelos seres humanos. Os animais também ficam cativos em determinadas áreas, são selecionados e sofrem todo tipo de intervenção humana. Portanto, uma fazenda não é uma paisagem natural e sim uma paisagem cultural.

Um exemplo polêmico seria a Floresta da Tijuca na cidade do Rio de Janeiro, sendo que ela foi uma área completamente desmatada para abrir espaço para plantações de café e que, após gerar uma grande falta de água na cidade, o imperador D. Pedro II mandou reflorestar, ao longo dos anos de 1862 e 1888, ela por inteiro. Sendo considerado como o pioneiro dos projetos ambientais de reflorestamento do Brasil.

A Floresta da Tijuca não se enquadraria em paisagem natural pois foi uma recriação humana. Foto: rocharibeiro / Shutterstock.com

Alguns entendem que por ter sido uma Floresta replantada pelos seres humanos, ela não poderia ser considerada uma paisagem natural, porém, outros entendem que passados mais de 2 séculos, a natureza já dominou a área. Porém, ainda predomina o entendimento de que se trata de uma paisagem cultural tanto por ter sido criada por mãos humanas, quanto pelo contínuo uso turístico dela.

É importante ressaltar que ação humana não é apenas a daqueles seres humanos de uma sociedade considerada “civilizada” ou de maior desenvolvimento tecnológico, uma floresta remota, sem qualquer contato com o resto do mundo, e que possui uma tribo de nativos também está sob intervenção humana e portanto também será uma paisagem cultural na medida em que os nativos influenciem aquela paisagem.

Note que a paisagem é a parte visível do espaço e assim sendo, para uma paisagem deixar de ser natural, a influência humana deve ser visível.

Arquivado em: Geografia