Países emergentes

Graduado em Geografia (Centro Universitário Fundação Santo André, 2014)

O termo países emergentes surgiu na primeira década do século XXI, e se refere a um grupo de países considerados até então como subdesenvolvidos, ou seja, com baixo desenvolvimento econômico, porém que tiveram um avanço de sua economia, podendo assim ser considerados como países emergentes ou também chamados de países em desenvolvimento, com uma economia em ascensão.

No período pós Segunda Guerra Mundial, havia uma classificação de países denominados como países de primeiro mundo (desenvolvidos ou também chamados de ricos), países de segundo mundo (socialistas) e países de terceiro mundo (subdesenvolvidos ou chamados também de pobres). Após o fim da Guerra Fria, resultado pela dissolução da União Soviética (URSS), houve a ascensão do sistema capitalista por quase todo o globo terrestre no final do século XX, nesse sentido os países foram reclassificados entre desenvolvidos e subdesenvolvidos. Os chamados países desenvolvidos eram aqueles com maiores índices econômicos, taxas qualitativas mais avançadas, com desenvolvimento industrial e tecnológico de alto porte e uma economia com maior participação dos setores econômicos secundário (indústrias e construção civil) e terciário (prestação de serviços). Por outro lado os países com economias menores, aqueles que tinham uma produção mais envolvida ao setor primário da economia (agropecuária e mineração), foram considerados como subdesenvolvidos.

Em geral os países chamados de subdesenvolvidos foram aqueles que tiveram um histórico como colônia de exploração durante os períodos coloniais das Grandes Navegações (século XV) e no neocolonialismo (séculos XIX e XX), tendo por consequência uma industrialização tardia, o que acabou por resultar em uma economia de mercado voltada a produção agropecuária e a exploração mineral e vegetal, em sua maior parte, seus produtos sendo de ordem primária possuem valor mais baixo no mercado internacional, auxiliando na manutenção capitalista de permanecerem subdesenvolvidos e comprarem produtos manufaturados dos mais desenvolvidos.

Na segunda metade do século XX alguns desses países subdesenvolvidos tiveram uma implementação de indústrias, que começaram a se deslocar a esses países em busca de mão de obra barata e acesso próximo a matéria-prima, isso pôde auxiliar em um avanço econômico e tecnológico nesses países para que pudessem começar a se destacar dentre os subdesenvolvidos. A partir dessa industrialização ocorrendo mesmo que tardiamente, há um avanço para suas economias e condições sociais, podendo assim ser considerados com um desenvolvimento maior, assim chamados de países em desenvolvimento ou países emergentes, com suas economias ascendendo.

Os países emergentes são responsáveis por aproximadamente 50% do PIB (Produto Interno Bruto) do mundo, ou seja, metade da produção econômica gerada no globo é responsabilidade desses países que estão em constante crescimento econômico.

Existem alguns grupos de importância mundial que consideram esses países emergentes para tomadas de decisões econômicas, como o G20, Grupo dos 20 países com maior economia, que é formado por países desenvolvidos e emergentes. Desde 2008 depois da crise imobiliária que eclodiu nos Estados Unidos e se alastrou a diversos países do mundo, tem como intuito a estabilidade econômica de seus membros, contando com a participação de ministros de finanças, presidentes de bancos e chefes de estados nacionais,que se reúnem para discutir principalmente assuntos de caráter econômico.

As bandeiras do BRICS, grupo dos cinco principais países emergentes: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Ilustração: GrAl / Shutterstock.com

O BRICS é outro grupo importante sobre essas questões, sendo este formado inteiramente por países emergentes, tendo como participantes o Brasil, a Rússia, a Índia, a China e a África do Sul. Estes 5 países são considerados as maiores economias dentre os países emergentes e formaram esse grupo desde 2006, inicialmente como BRIC, tendo a adesão da África do Sul no ano de 2011. O grupo foi formado com o intuito de expandir não apenas suas economias mas também seus aparatos tecnológicos, científicos, obter melhorias na saúde, educação, entre outros. Este grupo se reúne anualmente para debater os assuntos que possam envolver as questões para que haja melhorias em conjunto, sendo que sua cooperação se encontra em mais de 30 setores.

Bibliografia:

https://www.sunoresearch.com.br/artigos/paises-emergentes/

http://brics2019.itamaraty.gov.br/sobre-o-brics/o-que-e-o-brics

http://www.itamaraty.gov.br/pt-BR/politica-externa/diplomacia-economica-comercial-e-financeira/15586-brasil-g20

Arquivado em: Economia, Geografia