Litote

Graduação em Letras Português e Inglês (Universidade Presbiteriana Mackenzie, 2010)

Litote é uma figura de linguagem em que se afirma algo por meio da negação, ou seja, nega-se o contrário do que se deseja afirmar.

Abaixo alguns exemplos de Litote:

Ela não canta mal. – Canta bem

Ele não ficou bem com a sua saída. – Ficou mal

No dia do amigo secreto rimos pouco. – Rimos muito

Joana não é nada boba, pegou o melhor óculos da promoção. – É esperta

Ser mãe não é tarefa fácil. – É tarefa difícil

Não é engraçado isso que você fez. – É ruim

As flores do jardim da vovó não existem mais. – Sumiram

Ele não é nada rico. – É pobre

Eu não sou um homem fácil. – Sou difícil

Você não é um santo. – É um demônio

João era o menos indicado para assumir essa responsabilidade. – Não era indicado

Marcela era prendada, educada, tinha grandes virtudes e não era feia. – Era bonita.

Essa figura de linguagem, também, se aproxima da Ironia e do Eufemismo, já que podemos dizer que ela é sinônima aproximada de Eufemismo e antônimo de Hipérbole. Exemplo:

"Não era costureira, nem proprietária, nem mestra de meninas; vá excluindo as profissões e lá chegará. ” (Singular Ocorrência, Machado de Assis)

Tu não estás bom, José Rodrigues.” (Machado de Assis)

Rubião, ao contrário, gostou de ver que o homem não se esquecera da conversação” (Quincas Borba, Machado de Assis)

Não era belo, mas mesmo assim
Havia mil garotas a fim.” (Era Um Garoto Que Como Eu Amava Os Beatles e Os Rolling Stones, Engenheiros do Hawaii)

Na Litote, a ideia que o emissor deseja passar é indicada pela negação do contrário, isso faz com que o falante atenue uma ideia que poderia ser agressiva, faz com que determinadas situações delicadas sejam mais agradáveis.

Arquivado em: Linguística, Português