Signo linguístico

Especialista em Planejamento, Implementação e Gestão da Educação a Distância (UFF)
Graduação em Letras (Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira, FUNCESI)

O signo linguístico é a relação que se estabelece entre um significante e um significado, segundo Ferdinand Saussure, considerado o pai da linguística moderna. O significante é entendido como a imagem acústica de uma palavra, isto é, a representação sonora de uma palavra. Já o significado é o conceito que se tem da palavra, ou seja, a realidade que a palavra representa. O significante e o significado formam um signo, que se une a outros signos, compondo um sistema. Desse modo, um signo se valoriza na relação com outros.

Os significantes dos signos linguísticos são chamados de “significantes sonoros”. Vale destacar que eles se realizam no tempo. Nesse contexto, os sons ocorrem em uma sucessão. É importante acrescentar que há os “significantes visuais”. Eles estabelecem relação no espaço, estando presentes em desenhos e pinturas, por exemplo.

Os signos linguísticos são arbitrários. Por quê? Porque não há uma relação de proximidade e semelhança entre as palavras e as coisas a que elas se referem. Essa arbitrariedade manifesta-se, a título de exemplo, no fato de línguas diferentes se referirem as mesmas coisas de formas diferentes.

Modos de associação de um signo linguístico com outro

Significado

Um signo pode associar-se a outro por meio do significado que apresenta. As relações de sinonímia (sentidos aproximados) e antonímia (sentidos opostos) são exemplos desse tipo de associação:

o signo “riqueza” associa-se, por homonímia, a signos como “fortuna” e “prosperidade”.

o signo “alegria” associa-se, por antonímia, a signos como “tristeza” e “abatimento”.

Significante

Um signo pode associar-se a outro por intermédio de seu significante, isto é, por meio de imagens acústicas parecidas:

recanto, encanto, pranto.

Outros signos

Um signo pode associar-se a outro por meio de outros signos, quando há processos morfológicos comuns:

- mesmo prefixo:

insolúvel, intolerância, intocável, etc. (prefixo “in” indica negação)

- mesmo sufixo:

auditório, consultório, escritório, etc. (sufixo “tório” indica o lugar da ação)

- mesmo radical:

amo, amei, amarei, etc.

Para concluir:

 

Significante (imagem acústica)
+
Significado (conceito)
=
Signo linguístico

Referências:

FIORIN, José Luiz. Teoria dos signos. In: ___ (org.) et al. Introdução à Linguística. 6.ed. 7ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2019. p.55-74.

ILARI, Rodolfo. Signo linguístico. In: Glossário Ceale. Disponível em: <http://ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/signo-linguistico>. Acesso em: 24 de novembro de 2019.

PIETROFORTE, Antonio Vicente. A língua como objeto da Linguística. In: FIORIN, José Luiz. (org.) et al. Introdução à Linguística. 6.ed. 7ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2019. p.75-94.

Arquivado em: Linguística