Declarando-se Culpado

Normalmente os protagonistas de Turow são concretamente concebidos, com famílias reais, passados ​​problemáticos, hábitos injustificáveis.  No entanto, Mack é de longe o mais complicado deles. Ele é perverso, a princípio lento em suas respostas, e definitivamente cruel.


Mack Malloy é um antigo policial. Ele é um pretenso ex-alcoólatra e um dos funcionários menos talentosos de uma das empresas de advocacia mais influentes de Kindle. O protagonista foi encarregado de uma tarefa obscura, perigosa e esclarecedora. Malloy deve descobrir o paradeiro de seu companheiro de trabalho, um advogado genial que sumiu, levando consigo o dinheiro de um cliente, cinco milhões de dólares. O desaparecido não deixou qualquer indício de seu destino.

Porém, a vida real é mais espantosa. Malloy vai ser obrigado a sair de sua rotina maluca, povoada por um filho sem serventia, uma dimensão emotiva exaustiva e pelas disputas com Olhinho de Porco, seu principal adversário, se quiser realmente decifrar os segredos que rondam o desorientador sumiço de seu colega.

Esse caso também envolve um assassinato cruel, uma região praiana nas Caraíbas, uma súbita paixão e um desejo irreprimível. Esses elementos se somam na construção de uma trama complexa que conduz o leitor por uma leitura irresistível. Esse romance é excêntrico em todos os sentidos; ele transpira perigo, sexualidade e especialmente valores financeiros. A história é repleta de surpresas do início ao fim.

Como nos bestsellers Acima de Qualquer Suspeita e O Ônus da Prova, esta trama gira em torno de advogados e da lei como um paradigma das crenças sociais. Mas o ângulo mais freqüente e menos plausível neste livro é o psicológico.

Scott Turow se formou no ano de 1970, pela Amherst College. O autor lecionou escrita criativa na Universidade de Stanford até 1975. Nesta ocasião ele ingressou na Faculdade de Direito de Harvard. Sua estreia na carreira literária se deu em 1977, quando ele produziu sua primeira obra, One L, publicada em nosso país como O Primeiro Ano - Como se Faz um Advogado, na qual ele descreve os obstáculos e a árdua jornada enfrentada no primeiro ano do curso de Direito.

Scott atuou como assistente no U.S. Attorney e aí integrou as equipes que realizaram várias investigações da área criminal, especialmente em histórias de prática da corrupção. Em 1986 o escritor se afastou dessa instituição e começou a criar histórias que enfocavam assuntos jurídicos. Ele presidiu o Authors Guild - associação de escritores dos Estados Unidos -, entre os anos de 1997 e 1998. Hoje ele é sócio do escritório de advocacia Sonnenschein Nath & Rosenthal. Todas as suas narrativas são ambientadas no imaginário condado de Kindle County.

Fontes:
https://www.skoob.com.br/autor/3131-scott-turow
https://www.skoob.com.br/livro/27441-declarando-se-culpado
http://veja.abril.com.br/blog/temporadas/tag/pleading-guilty/
http://www.independent.co.uk/arts-entertainment/book-review--a-lawyer-unto-himself-pleading-guilty--scott-turow-viking-1599-pounds-1509930.html

Arquivado em: Livros