Edgar Allan Poe - O Mago do Terror

O escritor Edgar Allan Poe está sendo mais que nunca revisitado na literatura e no cinema. Nas telonas é interpretado por John Cusack no longa O Corvo; no universo literário é retratado, entre outros autores, por Jeannette Rozsas no livro O Mago do Terror.


Nesta obra a escritora reverencia o criador extraordinário, porém incompreendido em sua época, justamente por estar à frente de seu tempo. Poe teve uma existência tão conturbada e polêmica, que poderia ele mesmo ser uma de suas criaturas. Praticamente inaugurou os contemporâneos romances protagonizados por detetives e destacou-se no gênero terror psicológico.

O autor norte-americano, nascido em 1809 e falecido em 1849, cultivou uma biografia no mínimo curiosa. Por esta razão tantos biografistas pesquisaram detalhadamente sua trajetória existencial. Este livro foi construído através de investigações minuciosas em diários e na correspondência do escritor.

É como se o próprio Poe estivesse narrando sua biografia ao leitor, abertamente, sem qualquer repressão. Fotos, cópias de documentos e imagens produzidas por célebres artistas plásticos, como Manet e Doré, imprimem um brilho ainda maior à obra. Além disso, Rozsas acrescenta três diferentes traduções do famoso poema ‘O Corvo’: a autêntica, na língua inglesa, e duas versões para o idioma português, uma do brasileiro Machado de Assis e outra do poeta Fernando Pessoa.

Edgar Allan Poe continua moderno mesmo em nossos dias. Ele tem como matéria-prima emoções ancestrais, inerentes ao Homem, tais como o medo e a inquietude. A autora permaneceu imersa na vida deste gênio frustrado durante três anos, e o resultado é esta obra precisa e esclarecedora.

Ao longo deste percurso a escritora reviu contos e poesias, estudou biografias, percorreu museus norte-americanos e dialogou com vários peritos na bibliografia e na vida de Poe. E ainda por cima configurou uma linguagem nada comum em retratos biográficos, pois optou pelo formato do romance, permeado por um dialogismo baseado em correspondências e documentos. Rozsas manteve-se completamente fiel aos eventos históricos.

Afinal, a realidade já é em si mesma um palco de fatos surpreendentes. Poe perdeu os pais aos dois anos, foi rejeitado pelo pai adotivo e, debilitado pela bebida e pela separação das mulheres que amou, passou por ocasiões de êxito e outras de grande miséria, mergulhado em profunda instabilidade.

Sua morte em Baltimore também foi controvertida. Ele partiu alguns dias depois de ser visto em uma taberna, coberto por roupas em frangalhos e mergulhado em condições delirantes. Suas últimas palavras foram dirigidas a alguém chamado Reynolds, até agora um completo desconhecido. Nunca se soube também a verdadeira razão de seu falecimento. Desta forma nasceu a mitologia em torno do autor.

Jeannette Rozsas é uma autora nascida na cidade de São Paulo. Ela escreveu Autobiografia de um crápula, Qual é mesmo o caminho de Swann?, O jovem Kafka e Morrer em Praga. No formato de audiolivro publicou As Sete Sombras do Gato. É gestora da União Brasileira de Escritores.

Fontes:
http://www.correiodopovo.com.br/Impresso/?Ano=117&Numero=288&Caderno=5&Noticia=443551
http://noticias.bol.uol.com.br/entretenimento/2012/05/19/filme-e-livros-celebram-edgar-allan-poe-mestre-do-terror.jhtm
http://www.ube.org.br/biografias-detalhe.asp?ID=414

Arquivado em: Livros