Eu Anna

"Eu Anna" é um livro denso e oferece ao leitor uma história bem diferente das que chegam habitualmente às mãos dos jovens leitores. Nesta primeira ficção a autora conta a trajetória de Anna Welles, uma mulher que, aos cinquenta anos, vê sua vida ruir de um momento para outro.


Ela passa por um divórcio e é prejudicada de todas as formas. Financeiramente é lesada, pois sai do relacionamento sem a residência em um bairro privilegiado e despojada de recursos financeiros. É obrigada a trabalhar como bibliotecária. Seu amor-próprio é praticamente destruído e sua essência é golpeada. A protagonista se torna uma pessoa carente e precisa mais que nunca se sentir sedutora e reencontrar a felicidade.

Até a relação com a filha adolescente, antes uma grande amiga, é abalada. Agora as duas vivem brigando. Elas se instalam em um apartamento muito pequeno em uma região adversa de Nova Iorque. Sem rumo e solitária, depois do fim de um matrimônio de trinta anos, ela passa a ir seguidamente a festas de solteiros. Seu objetivo é encontrar figuras do sexo masculino que estejam na mesma faixa etária.

Nestas ocasiões ela assume a identidade de Allegra e se relaciona com inúmeras pessoas. Um dia, porém, sua jornada toma um rumo inesperado e nada mais volta a ser como antes. Ela vai parar no apartamento de um desconhecido e é implicada em um crime. Neste momento ela mergulha em um terrível pesadelo e todas as suas desilusões emergem.

A narrativa não privilegia apenas a protagonista, ela revela e trabalha muito bem as histórias de cada personagem. Uns são mais atraentes que outros. Isto é algo normal, pois eles são elaborados de tal forma que realmente temos a impressão de estarmos diante de seres de carne e osso.

Assim sendo, cada um apresenta infortúnios e trajetórias com as quais qualquer leitor pode se identificar. A autora apresenta vários grupos familiares atravessando o fim do casamento, dificuldades com os filhos, conflitos de gerações e problemas com drogas. Neste e em outros pontos a trama é muito hábil; nenhum personagem é completamente do bem ou totalmente perverso.

Por exemplo, o policial que investiga o crime do qual a protagonista se torna suspeita é uma criatura generosa, leal e um trabalhador modelo, mas em sua família passa igualmente por uma separação com uma esposa conturbada, entre outras dificuldades que surgem em sua vida. No que se refere à Anna, as reflexões que tece quando está só também são elaboradas com muito cuidado.

Elsa Lewin atua como psicanalista, o que favoreceu muito a criação de sua história.

Fontes:
http://www.record.com.br/autor_sobre.asp?id_autor=6812
http://www.skoob.com.br/livro/326995-eu_anna
http://indiqueumlivro.literatortura.com/2013/07/26/eu-anna-de-elsa-lewin/

Arquivado em: Livros