Eu Me Chamo Antônio

Pedro Gabriel é o responsável por uma página que faz muito sucesso no Facebook: Eu Me Chamo Antônio, criada em outubro de 2012. Ela já foi curtida por mais de 370 mil pessoas e pode igualmente ser encontrada no Twitter, no Tumblr e no Instagram, onde conta com quase 67 mil seguidores. Qual a fórmula do sucesso?

Nela o autor posta várias imagens e versos escritos a caneta ao longo da vida em guardanapos de papel. O impacto foi tal que agora a Editora Intrínseca publica o livro do publicitário, no qual constam cem dos mil guardanapos que ele preencheu ora com suas ilustrações, ora com pequenos poemas, todos produzidos no famoso Café Lamas, em terras cariocas.

Pedro conta que em sua Certidão de Nascimento consta o nome Pedro Antônio Gabriel Anhorn. Os pais lhe deram uma denominação na qual se combinam dois nomes: Pedro e Antônio. Gabriel aqui é o sobrenome pela linhagem materna. Anhorn é o título familiar paterno.

No fim das contas seus genitores decidiram unir esses nomes para compor a identidade com a qual ele se revelaria diante da sociedade. Esta denominação também está presente em todos os seus documentos, nas contas a pagar, nas instituições em que ele é chamado pelo nome completo. O escritor admite que passou por preconceitos nominais durante toda a existência.

Quanto à escolha do nome Antônio, ele diz que não consultou numerólogos, nem as estrelas. Também não adotou um nome artístico. Trata-se apenas uma opção pessoal. É como Antônio que ele pretende conversar com seus guardanapos e se revelar ao leitor. E é o protagonista de sua obra, embora transcenda o imaginário e se reflita também no real, pois é igualmente uma parte do escritor.

Sua inspiração vem dos escritos curtos de poetas como Mário Quintana e Paulo Leminsk. Ele lia avidamente esses textos quando desembarcou no Brasil, ainda com sérios problemas para se ajustar ao idioma português. Na época Pedro Gabriel já sonhava em compor versos impactantes como os destes autores. Ele acredita que sua vivência como publicitário contribuiu para que aprendesse a tornar sua mensagem mais concisa. Quanto às ilustrações, ele confessa que seu aprendizado se deu enquanto era ainda um menino, na África. Pedro relata que seu primeiro desenho foi criado aos três anos de idade; era uma girafa.

Pedro Gabriel nasceu em 1984, na cidade de N’Djamena, capital do Chade. Seu pai era originário da Suíça e a mãe vinha do Brasil. Aqui ele aportou aos 12 anos. Um ano depois ele ainda não conseguia formar uma frase integral na língua portuguesa. Foi esse obstáculo linguístico que lhe deixou livre para monitorar tanto a sonoridade quanto a escrita de cada vocábulo, e para se relacionar ludicamente com as palavras.  O autor é graduado em publicidade e propaganda pela ESPM-RJ.

Fontes:
http://www.intrinseca.com.br/site/2013/10/eu-me-chamo-todos-os-meus-nomes/
http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2013/11/1376286-livro-eu-me-chamo-antonio-reune-guardanapos-com-versos-ilustrados.shtml

Arquivado em: Livros