Na Ilha

Essa narrativa caiu no gosto dos leitores e foi divulgada de um para outro desde que foi originariamente lançada. A autora publicou sua obra de forma independente, pois nenhum editor aceitou adotar essa polêmica história do romance que nasce entre um adolescente de 16 anos e uma mulher de 30 anos. O relacionamento desabrocha e se desenrola em uma paisagem encantadora, mas ao mesmo tempo ameaçadora.


A relação entre eles parece não ter a mínima chance de sucesso, porém se desenvolve assim mesmo. T.J. Callahan, além de ser muito mais novo que Anna Emerson, contratada para lhe ensinar inglês durante as férias de verão nas Ilhas Maldivas, está se recuperando de um linfoma de Hodkin. Ele só deseja agora ter uma rotina como a de qualquer outro adolescente. Porém os pais insistem que o mesmo deve ficar um tempo na casa de veraneio da família recuperando as aulas não assistidas no período em que o mesmo estava no hospital.

Já Anna está louca para sair da mesmice do dia-a-dia e fugir do inverno árduo de Chicago e de um namoro estagnado. Para ela, aceitar esse emprego é ter a chance de ir por um tempo para uma ilha paradisíaca, mesmo que seja como professora de inglês de um garoto. No percurso para as Maldivas ocorre um acidente e somente os dois permanecem vivos.

O avião sofre uma queda e vai parar justamente no oceano assolado por tubarões. O casal nada e consegue atingir o litoral, mas deste momento em diante eles se tornarão prisioneiros em uma ilha deserta. E terão que unir esforços para sobreviver, enfrentando constantemente toda gama de obstáculos.

Tracey tem um texto ágil. Nos capítulos curtos, alternados na primeira pessoa entre Anna e T. J., o leitor encontra imagens fugazes de conjunturas extremas com as quais ambos se defrontam na luta pela sobrevivência. Também é essa a forma que a autora encontrou para contextualizar o leitor quanto ao escoar do tempo.

Desta maneira é possível também acompanhar a sucessão de desafios enfrentados pelo casal, a vitória sobre os obstáculos, o crescimento interior de T. J., a determinação dos dois e a confiança de que serão encontrados. A obra ganhará igualmente uma versão cinematográfica.

Tracey Garvis Graves reside no estado de Iowa, nos Estados Unidos, ao lado do esposo e dos dois filhos. Esta ficção é sua estreia no universo literário e logo se transformou em um fenômeno editorial, constando das listas dos livros mais vendidos do New York Times. A publicação será lançada em mais 26 países.

Fontes:
http://www.romancesinpink.com.br/2013/10/na-ilha-tracey-garvis-graves.html
http://www.intrinseca.com.br/site/2013/08/estante-intrinseca-lancamentos-de-setembro/
http://www.intrinseca.com.br/site/autores_ficha.php?autorid=170

Arquivado em: Livros