O Enigma das Estrelas

Dez anos depois, F. T. Farah resgata sua história espacial e lhe dá uma roupagem nova, preservando sua essência, porém modernizando-a, procurando cativar as novas gerações ao mesmo tempo em que se mantém fiel ao seu público de carteirinha.

O Enigma das Estrelas compõe o primeiro volume da série que o autor intitula Clube dos Mistérios. A trama gira em torno de cinco amigos, Jonas, Alfredo, Vicentinho, Carola e Carmem, originários de vários pontos do Brasil e que só se encontram uma vez por ano, durante as férias de julho, na pitoresca cidade mineira de Morro do Ferro.

Seus pais são amigos de longa data; cada um deles constituiu sua própria família e voou rumo a um destino diferente, enquanto seus ancestrais permaneceram em Morro do Ferro.

Jonas, de São Paulo, forma um par romântico com Carola, a jovem de Ribeirão Preto. Eles perpetuam uma tradição familiar que se perde no passado, em uma história repleta de segredos.

Nilton, pai de Jonas, e Sofia, mãe de Carola, mantinham um romance na juventude, mas suas famílias impediram-lhes de levar adiante o relacionamento, apesar dos dois serem completamente apaixonados. Essa trama nebulosa ecoa ainda no presente. Murilo, pai de Carola, morre de ciúmes do rival, e a adolescente hesita em aceitar o pedido de namoro de Jonas, embora não pare de pensar nele por um só instante.

Murilo é irmão de Bento, um dos raros moradores de Morro do Ferro que ainda não viu um disco voador ou, pelo menos, luzes estranhas no céu. A narrativa se inicia justamente no momento em que ele, do alto de seu ceticismo, censura em pensamentos um dos conterrâneos, Rui, que alega ter sido abduzido e submetido a terríveis experimentos científicos por alienígenas mal-intencionados. De alguma forma ele conseguiu fugir e nunca mais foi o mesmo, extravasando suas angústias e traumas no álcool.

Nesse momento, Bento passa por uma experiência inesquecível que o marcará para sempre. Ele é perseguido por uma luz no céu. Tenta atirar no disco que sobrevoa seu carro, em vão. Então ele vê um dos aliens e um ser que lhe é muito familiar, mas que somente no final do livro o leitor saberá quem é. Vozes misteriosas soam em seus ouvidos, mas Bento se recusa a revelar que estranhas palavras o abalaram tanto.

É nas canções de Raul Seixas, autor de uma das músicas que ele ouviu durante o encontro, que ele busca desvendar esse enigma das estrelas. Bento acredita que ele é um profeta, e que a Sociedade Alternativa, pregada em suas canções, seria uma era de domínio dos extraterrestres.

Murilo, por sua vez, se torna inflexível diante de seu ceticismo. Recusa-se a crer em qualquer das histórias e lendas que povoam a cidade; despreocupado, incentiva Jonas a acampar com os amigos no alto do Morro dos Anjos. Ele convence os outros pais a liberar seus filhos para essa aventura, defendendo que é a forma ideal de lhes proporcionar um rito de passagem, um processo de amadurecimento.

Jonas é o mais velho dos jovens, portanto torna-se o líder da turma, embora seja contestado por Alfredo, órfão de mãe e revoltado com o pai, Antonio, por não ter lhe permitido permanecer em São Carlos, onde planejava conquistar a garota por quem se apaixonou. Ele se alia a Vicentinho, o caçula do grupo, na tentativa de impedir que Jonas domine o grupo. Carmem também é um obstáculo no caminho do paulistano, pois está o tempo todo ao lado de Carola, dificultando o relacionamento de ambos.

Mas, acima de qualquer disputa entre eles, pairam ameaças sombrias. O perigo ronda seus pesadelos e seus corações. Jonas planejava assustar os amigos e se exibir diante de sua amada com as histórias narradas por seu pai, mas as velhas lendas se tornam reais demais.

De repente, Jonas se torna o protagonista de uma guerra ancestral entre os ETs e de uma história sobrenatural que envolve um padre queimado na praça central de Morro do Ferro. Na época, o sacerdote lançou uma maldição sobre a cidade. Foi a partir desse momento que o povoado mineiro passou a ser assediado pelas estranhas luzes e por misteriosos reptilianos, que prometem assombrar os cinco amigos não somente durante os dias em que permanecem acampados, mas pelo resto de suas vidas. E alguns dos adultos também parecem guardar segredos arrepiantes, que podem ajudar a montar o quebra-cabeça que intriga o recém-criado Clube dos Mistérios, disposto a desvendar o enigma das estrelas.

O autor sabe como ninguém envolver o leitor, mantendo-o preso à leitura até a última linha. Ele é mestre na arte de criar mistérios, tensão e suspense. Resta agora aguardar com ansiedade o segundo volume. E que ele venha com todos os anexos dispostos ao longo do livro, trazendo mais dados sobre filmes, músicas, livros e tudo que envolve os campos da ufologia e da ficção científica. Perfeito para os fãs. E o livro ainda apresenta as ilustrações geniais de Samuel Casal.

F. T. Farah é paulistano, graduado em Jornalismo, aficionado por seres das estrelas e naves espaciais. Ele revela uma estranha preferência pelos reptilianos. Mas também publicou crônicas, outras histórias infanto-juvenis e ficção para adultos. Afinal, ele precisa driblar os Homens de Preto.

Fonte:
F. T. Farah. Clube dos Mistérios. Volume 1. O Enigma das Estrelas. Editora Geração Jovem. São Paulo, 2014, 160 pp.

Arquivado em: Livros