Os Justiceiros

Este é um livro um pouco estranho em se tratando de Stephen King. Ele foi gerado antes da sua obra-prima, Carrie. Portanto, integra o lote de textos rejeitados pelos editores. O autor decidiu publicar essas obras com um nome artístico, Richard Bachman, pois pretendia saber se elas seriam um sucesso apenas por conta de sua fama. Essa farsa se prolongou até 1985. Neste ano as pessoas perceberam que os dois eram o mesmo escritor.


Esta história, em particular, tem seus méritos, mas também tem alguns problemas. A trama tem início em um momento de muita serenidade, com um garoto deixando o jornal em algumas casas, crianças adquirindo chocolate na loja da esquina da rua Álamo, um cãozinho na residência de um dos habitantes desta via pública, localizada em Wentworth, Ohio.

Mas ninguém notou a presença de um pequeno caminhão vermelho no alto desta via. De repente o furgão descamba rua abaixo e tiros são disparados contra Cary Ripton, o entregador de jornais, que morre imediatamente. O pastor alemão dos Reed, Hannibal, também é morto.

Daí em diante cada morador pode ser um alvo em potencial. E o responsável por esses crimes é revelado na trama paralela, a qual procura explicar quem ele é e porque está matando todo mundo. Só que tudo continua confuso da mesma maneira, pois o ser que manipula a mente do autista Seth é conhecido como Tak e em nenhum momento ficam claras as suas motivações.

Outro ponto que pode dar nó na cabeça do leitor é que os dois primeiros assassinatos ocorrem nas primeiras 20 páginas; até aí tudo bem. Mas é nesse mesmo espaço que pelo menos 25 personagens são apresentados. Apenas o mapa da rua Álamo, incluso pelo autor neste livro, traz alguma luz. Com sua ajuda é possível identificar os seus moradores e a possível razão de sua morte. Há muitos massacres durante a história e alguns dos personagens não chegam nem a ser muito elaborados, pois morrem antes de ter essa oportunidade.

Embora todos esses elementos contribuam negativamente para a narrativa de King, ela tem um lado bem positivo: a tensão gerada pela sucessão de eventos. Quando ocorre o primeiro crime, o ambiente já fica tenso entre os habitantes da rua. O autor se vale de diários e correspondências para remeter a tempos passados e criar um estresse ainda maior.

Stephen King é um dos escritores mais respeitados de todo o Planeta. Ele traz em seu currículo mais de 350 milhões de obras vendidas, inúmeras premiações literárias e várias transcrições de suas tramas para as telas do cinema, da TV, para os palcos e inclusive no campo musical. E o escritor continua mais vigoroso que nunca em seu esforço criativo.

Fontes:
http://www.objetiva.com.br/autor_ficha.php?id=406
http://www.estamosemobras.com.br/2011/12/critica-os-justiceiros-richard-bachman.html

Arquivado em: Livros