Sete Dias no Reino de Etar

O protagonista de "Sete Dias no Reino de Etar" é um garoto muito doente, provavelmente portador de um câncer agressivo. Ele passou a maior parte da sua existência no interior de um hospital. Seus familiares sempre se apoiaram na mais ínfima possibilidade de cura. De repente, cansado de esperar, em um repentino momento de confiança extrema, o pai de Pedro, Fernando, decide seguir as intuições do filho e sair à procura do ser que o mesmo conheceu em um de seus sonhos.


Com esse objetivo ambos abandonam a instituição na qual o menino estava internado e embarcam no avião de Fernando. A caminho do destino, a aeronave é atingida por um incidente e o pai de Pedro recomenda que o garoto salte da nave para não morrer. Ele obedece a orientação paterna e acaba aterrissando no reino de Etar. O protagonista tem somente sete dias para permanecer neste universo mágico, onde passa por inúmeras proezas.

A trama é singela. Os moradores deste reino vivem à espera do Príncipe Iluminado, o qual há eras vem sendo anunciado pelas profecias como o aguardado redentor de Etar e de seus habitantes. Com a ajuda do ser divino eles seriam capazes de vencer o vilão, conhecido como o Semeador, o qual age como um déspota sobre este mundo.

A criatura de asas verdes pertencia à esfera dos anjos, mas se permitiu desequilibrar graças ao monstro do ciúme. Envolvido por esta emoção sombria, ele decidiu destruir todos os moradores de Etar e refazer o reino conforme os seus próprios desejos. O autor vai pouco a pouco apresentando ao leitor um por um dos personagens deste reino e retratando os lances dramáticos que atingem suas vidas e também as histórias de amor vividas por cada um deles.

E cabe ao leitor ocupar-se destas figuras singulares, identificadas conforme sua forma de ser. Assim, encontraremos nomes como “Admiro”, “Promessa”, “Poema” e “Abrigo”. O autor nos brinda igualmente com inúmeras referências a músicas e obras literárias que se enquadram completamente nas conversas entre os personagens. No fim da obra ele organizou algo como um índice com os títulos das canções e dos poemas, bem como dos cantores e poetas.

Em apenas 251 páginas Ricardo compilou praticamente todo aprendizado que se deve adquirir em uma existência. Quando se lê este livro, tem-se a impressão de estar acompanhando uma fábula, gênero que é sempre protagonizado por bichos que falam e vivenciam preocupações menores, as quais trazem consigo uma mensagem moral no fim da história.

Ricardo Estevão de Almeida nasceu na cidade de Pindamonhangaba, em São Paulo, no dia 27 de março de 1973. Sua terra natal é presença freqüente na obra do autor. Ele se apaixonou pelos livros precocemente e foi um dos melhores estudantes na disciplina de Língua Portuguesa.  O escritor se graduou em Jornalismo pela Universidade de Taubaté. Em seu currículo constam três livros já publicados: Quantas vezes eu morri, de 2003; O amor silenciado, de 2006; e Rio e Mar, de 2007.

Fontes:
http://livrosletrasemetas.blogspot.com.br/2011/05/resenha-ricardo-estevao-sete-dias-no.html
http://www.novoseculo.com.br/autor_descricao.asp?id_aut=311&codigo_marca=0

Arquivado em: Livros