Tipos de texto

Especialista em Planejamento, Implementação e Gestão da Educação a Distância (UFF)
Graduação em Letras (Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira, FUNCESI)

Narração, argumentação, exposição, descrição e injunção são os tipos de texto. Em outras palavras, eles são as sequências linguísticas que compõem os gêneros textuais. Cada um deles tem suas características próprias, tendo em vista os objetivos a que se propõem. Vale destacar que um mesmo gênero pode apresentar mais de um tipo. Vamos analisar os tipos textuais no fragmento do texto “Dengue é o fim da picada”? Então, leia-o:

O que posso fazer para evitar a dengue?

Não existe vacina contra a dengue. Os carros chamados “fumacês”, que passam pelas ruas espalhando inseticidas, não são indicados. Eles apenas matam os mosquitos adultos e na verdade, dificilmente conseguem atingi-los. Outros métodos, como inseticidas de tomada, em aerossol ou raquetes elétricas também prometem acabar com o transmissor da doença. Mas nenhum deles consegue ser eficiente o bastante. Eliminar os numerosos mosquitos é uma tarefa muito difícil.

Por isso, a melhor forma de combater a dengue é eliminando os criadouros dos mosquitos, locais onde eles colocam os ovos e se reproduzem. O Aedes aegypti não deixa seus ovos em qualquer lugar: a fêmea deposita os ovos em partes úmidas de vários recipientes que acumulam água limpa. Quando entram em contato com a água, os ovos eclodem e originam as larvas.

Você imagina onde podem estar esses recipientes? Acredite, eles estão muito próximos de você…

O mosquito transmissor da dengue vive dentro mesmo de nossos lares, escondido sob cadeiras, mesas, armários, etc. Dessa forma, os locais que eles utilizam para colocarem seus ovos também fazem parte de nossas casas: são caixas d’água, barris, pratinhos de vasos de plantas, potes, tanques, jarros de flores, latas, pneus, calhas de telhados… Tudo muito perto da gente. É por isso que todos podemos ajudar a combater o mosquito.

Denise Moraes. Disponível em: <http://www.invivo.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=968&sid=8>.

Analisando os tipos textuais

No trecho “Eles apenas matam os mosquitos adultos e na verdade, dificilmente conseguem atingi-los.”, a autora apresenta um argumento para sustentar este fato: “Os carros chamados “fumacês”, que passam pelas ruas espalhando inseticidas, não são indicados”. Desse modo, ela lança mão da argumentação, que também se faz presente em “Por isso, a melhor forma de combater a dengue é eliminando os criadouros dos mosquitos [...]”. Note que a conjunção “Por isso” introduz o argumento para o fato mencionado anteriormente: “Eliminar os numerosos mosquitos é uma tarefa muito difícil”.

Na passagem “Quando entram em contato com a água, os ovos eclodem e originam as larvas.”, o texto narra o que acontece com os ovos depositados pelas fêmeas. Repare que a conjunção “Quando” foi usada para estabelecer a relação de tempo entre os fatos. Nessa narração, a autora optou pelos verbos no tempo presente “entram”, “eclodem” e “originam”. Dessa maneira, indica que se trata de fatos que se repetem.

No terceiro parágrafo do texto, aparece a injunção. O que é isso? É o diálogo direto entre a autora e o leitor, marcado primeiramente com a pergunta “Você imagina onde podem estar esses recipientes?”. Já em “Acredite, eles estão muito próximos de você…”, o verbo no imperativo “Acredite”, muito presente em sequências injuntivas, evidencia a conversação direta para a expressão de um alerta quanto aos criadouros dos mosquitos.

No segmento “[...] são caixas d’água, barris, pratinhos de vasos de plantas, potes, tanques, jarros de flores, latas, pneus, calhas de telhados…”, o texto descreve os locais de nossas residências onde os ovos do mosquito da dengue são depositados. Para a referida descrição, foram utilizadas as vírgulas para a enumeração de elementos correlacionados (de mesma natureza), bem como as reticências que indicam a continuação desses elementos.

Por fim, a autora encerra o texto com a exposição de seu ponto de vista sobre o tema abordado: “Tudo muito perto da gente. É por isso que todos podemos ajudar a combater o mosquito”. Em suma, ela empregou na construção do artigo, que tem fins didáticos, os cinco tipos textuais. Dessa maneira, não podemos classificar um gênero de texto como tipo de texto. Em outras palavras, não podemos, por exemplo, denominar um texto como “narrativo”, uma vez que esta é uma das sequências que o compõe em meio a outras.

Para concluir:

Os tipos de texto são as sequências linguísticas que constituem os variados gêneros de texto. São os tipos: narração, argumentação, exposição, descrição e injunção. Cabe reforçar que os gêneros de texto (textos) não podem ser classificados como tipos de texto (sequências), visto que estes integram aqueles.

Referências:

BAKHTIN, Mikhail. Problemática e definição. In: ___ Estética da criação verbal. Tradução de Maria Ermantina Galvão G. Pereira. 3.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2000, p.279-287. Título original: Estetika slovesnogo tvortchestva.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: BEZERRA, Maria Auxiliadora (org.) et al. Gêneros textuais e ensino. 2.ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005, p.19-36.

MORAES, Denise. Dengue é o fim da picada. Disponível em: <http://www.invivo.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=968&sid=8>. Acesso em: 20 de outubro de 2019.

Arquivado em: Português, Redação