Idade da Pedra

Mestrado em História (UDESC, 2012)
Graduação em História (UDESC, 2009)

A Idade da Pedra é marcada pelo início da fabricação de utensílios em pedra pelos seres humanos. A humanidade passou a construir de forma contínua e regular utensílios em pedra, tendo um formato e uma finalidade específicos. É esta produção de objetos que diferem os seres humanos dos demais animais.

O gênero Homo é datado de aproximadamente 2 milhões de anos atrás. E o período de atividade humana com domínio e fabricação em pedra ficou conhecido como paleolítico. Este recorte é finalizado com o início da agricultura, ou Revolução Agrícola ou Revolução Neolítica, ocorrido há aproximadamente 10 mil anos, que dá início à Idade da Pedra polida.

Arqueólogos imaginam que outras matérias-primas para confecção de objetos e utensílios devem ter sido utilizadas, porém, os materiais em pedra foram os únicos a sobreviverem até os dias atuais, possibilitando o estudo e interpretações pelos estudiosos no presente. Ainda que o recorte temporal seja muito longo, entende-se que este foi um tempo de transformações, em que os humanos foram se adaptando à natureza, desenvolvendo técnicas e aprimorando suas formas de sustento e sobrevivência.

A grande maioria dos artefatos foi produzida com uma intenção específica e prática: facas para a caça, por exemplo. Porém, o aperfeiçoamento de alguns materiais possibilitou as primeiras manifestações artísticas. Pinturas e gravuras marcaram a produção destes grupos humanos e são usualmente conhecidas por pinturas ou figuras rupestres. As primeiras formas de arte surgiram entre 35 e 30 mil anos. Inicialmente as figuras eram mais abstratas, mas, aos poucos, as figuras ganharam traços reais e mais próximos do que se conhecia deste então.

Pintura rupestre na caverna de Lascaux, França. Foto: Everett - Art / Shutterstock.com

Os primeiros humanos que dominaram e lascavam as pedras, tinham por prática produzir materiais batendo pedras umas nas outras para produzir uma ponta afiada. Estes artefatos serviam, especialmente, para o corte de carnes e peles de animais. Porém, há aproximadamente 700 mil anos, o homo erectus, passou a talhar as pedras. Este fazer só foi possibilitado pelo domínio do fogo, que tinha diversos fins: afastar os animais, iluminar os acampamentos provisórios durante a noite e, especialmente, cozinhar. O alimento cozido foi outro ponto significativo para o aumento populacional e para a sobrevivência dos seres humanos.

Pontas de lanças feitas de pedra há milhares de anos. Foto: Juan Aunion / Shutterstock.com

Assim, a Idade da Pedra pode ser dividida em dois momentos: o que chamamos de Paleolítico, ou Idade da Pedra Lascada, e o Neolítico, ou Idade da Pedra Polida. No período que chamamos de Paleolítico vivia-se de forma nômade e foi quando se desenvolveram as primeiras ferramentas e utensílios para o uso nas atividades de caça e coleta. Foi também um período marcado pelo domínio do fogo e pelas primeiras manifestações artísticas e religiosas. Já o Neolítico foi marcado pelo início do sedentarismo que marcou o que Gordon Childe chamou de Revolução Neolítica ou Revolução Agrícola, que durou aproximadamente 10 mil anos e foi quando houve o domínio da agricultura e a domesticação de animais, bem como uma divisão social do trabalho nas comunidades.

O domínio do fogo e o desenvolvimento de técnicas para construção de ferramentas foram fundamentais para o aumento populacional, para a sobrevivência humana e para o início do processo de sedentarização. Embora este período seja conhecido como pré-história, termo carregado de preconceitos, entende-se que havia uso de raciocínio lógico e da inteligência humana na forma de vida dos homens e mulheres da Idade da Pedra.

Referências

CHILDE, Gordon. A evolução cultural do homem. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1975.

Arquivado em: Pré-História