Cognição

Mestre em Neurologia / Neurociências (UNIFESP, 2019)
Especialista em Farmácia clínica e atenção farmacêutica (UBC, 2019)
Graduação em Farmácia (Universidade Braz Cubas, UBC, 2012)

A cognição tem como origem a palavra “cognoscere” do latim que significa conhecer, é um termo geralmente utilizado quando nos referimos ao conhecimento, ou acúmulo de informações adquiridas através do processo de aprendizagem, tanto de forma científica quanto empírica. A cognição é a habilidade de processar diferentes informações através de estímulos recebidos de sentidos diversos como sonoros, luminosos, táteis e químicos, ou seja, através da percepção, incluindo diferentes processos como atenção, memória, raciocínio, linguagem, aprendizagem entre outros. Esses conhecimentos adquiridos nos permitem integrar todas as informações analisá-las e interpretá-las, ou seja, assimilar essas informações processando-as de forma que sejam convertidas em conhecimento.

Existem diferentes funções cognitivas que desempenham importante papel nos processos cognitivos para aquisição de conhecimento ou tomada de decisões. Dentre essas funções cognitivas temos a percepção, memória, atenção, raciocínio e todas funcionam integralmente formando novos conhecimentos e gerando novas interpretações de tudo o que ocorre ao nosso redor. Esses processos, apesar de serem fatores básicos para qualquer indivíduo, formarão experiências únicas de acordo com todas as percepções envolvidas, um exemplo: o cheiro de um perfume para algumas pessoas pode trazer lembranças de algo vivido porém não necessariamente as lembranças serão as mesmas, por mais que as condições que levaram ao indivíduo interpretar aquela situação seja idêntica a outro indivíduo, isso se dá pois a intensidade dos estímulos são diferentes para cada um.

Como já citamos nos parágrafos anteriores a percepção participa do processo cognitivo, ela nos permite entender o mundo através da interpretação dos estímulos recebidos através de vários meios, como a percepção visual, que é importante para a geração de novos conhecimentos pois é o tipo de percepção que mais gera novas informações. Em casos de perda desse tipo de percepção há redirecionamento para outros sentidos, uma adaptação biológica. A percepção auditiva também faz parte dos processos cognitivos, e através dos estímulos sonoros nosso cérebro é capaz de interpretar diversas situações, o simples fato de ouvir uma música e sentir uma emoção nos prova essa capacidade cognitiva em relacionar eventos sonoros com emoções do nosso cotidiano. A percepção tátil é capaz, através de se sensores distribuídos em nossa pele, de perceber diversas sensações como vibrações e pressão como no simples fato de notar a chuva quando uma gota de água cai em sua pele. A percepção gustativa e a olfativa que se integram fazendo com que sintamos os sabores de forma mais intensa, fato dessa união se comprova quando estamos com obstrução nasal, numa gripe por exemplo, e não sentimos direito o sabor dos alimentos.

A atenção também é um processo cognitivo que possibilita a concentração em determinado estímulo para processar essas informações de maneira mais profunda posteriormente e é um importante processo fundamental para a evolução de situações do dia a dia.

De fato, este é um processo muito importante dado a necessidade de focarmos em algum estímulo para aprendê-lo. Uma vez o estímulo aprendido entramos em outro processo cognitivo chamado de memória, que nos permite armazenar as informações codificadas e posteriormente recuperá-las. É um processo básico para o aprendizado, existem vários tipos de memória dentre elas temos a de curto e a de longo prazo. A de curto prazo retém uma determinada quantidade de informação por um curto espaço de tempo e a de longo prazo nos dá a capacidade de lembrar de uma determinada informação por um tempo maior. Outros tipos de memória são a auditiva, contextual, nomeação e de reconhecimento. A aprendizagem como parte do processo usamos para relacionar as informações recém adquiridas ao conhecimento já estabelecido, cada tarefa do nosso cotidiano possui elementos aprendidos ao longo da vida, e todos eles passam pela cognição.

O pensamento também é um processo cognitivo que nos permite avaliar e analisar todos os estímulos recebidos. A linguagem nos permite expressar pensamentos e sentimentos também é considerada um processo cognitivo.

Bibliografia:

Cognifit , 2019. “Cognição e a ciência cognitiva” Disponível em: https://www.cognifit.com/br/cognicao Acesso em:26/11/19.

Shatil E (2013). Does combined cognitive training and physical activity training enhance cognitive abilities more than either alone? A four-condition randomized controlled trial among healthy older adults. Front. Aging Neurosci. 5:8. doi: 10.3389/fnagi.2013.00008

Arquivado em: Pedagogia, Psicologia