Bridges

Usa-se uma bridge quando existem diferentes tipos de redes em um ambiente e deseja-se trocar informações ou partilhar arquivos entre todos os computadores, que podem comunicar entre si. Bridge é um equipamento que funciona exatamente como uma ponte. Possui a capacidade de interligar duas ou mais redes, reduzindo o tráfego entre segmentos de redes e convertendo diferentes padrões de redes.

Manipulam pacotes de dados em vez de sinais elétricos, o que difere este aparelho de outros dispositivos como os repetidores, que trabalham a nível físico.  Além de não retransmitirem ruídos e erros nos pacotes, as bridges são totalmente transparentes para os outros dispositivos de rede, e por isso, diversas redes locais interligadas por uma ponte formam uma única rede lógica.

Atuando nas camadas 1 e 2 do modelo OSI, uma Bridge trabalha lendo o campo de endereço de destino dos pacotes e transmitindo-o quando se trata de segmentos de redes diferentes, utilizando o mesmo protocolo de comunicação. Dentro de cada ponte há uma memória que armazena os endereços MAC de todos os computadores presentes na rede, a partir dos endereços de origem dos frames. Baseado nisso, é criada uma tabela que identifica cada computador e o seu local nos segmentos de rede.

Assim que a ponte recebe o pacote do endereço é feita uma comparação com a tabela existente, analisando o endereço MAC (endereço físico) do destinatário e do emissor. Se ela reconhecer o endereço irá encaminhar o pacote a esse endereço, caso contrário se a ponte não conhece o emissor, armazena o seu endereço na tabela para saber de que lado da rede se encontra o emissor.

As principais características da Bridge são:

  • Filtrar pacotes entre segmentos de LAN’s;
  • Capacidade de armazenamento de mensagens, principalmente quando o tráfego na rede for muito grande;
  • Possui função de uma estação repetidora comum;
  • Algumas bridges atuam como elementos gerenciadores da rede, coletando dados sobre tráfego para a elaboração de relatórios;
  • São Auto-configuráveis;
  • Transparente para os protocolos acima da camada MAC.

Apesar de bridges, repetidores e hubs serem dispositivos de rede semelhantes, a ponte é mais complexa. Elas podem gerenciar o tráfego de uma rede ao invés de simplesmente retransmití-los para os segmentos de rede adjacentes. Isto porque conseguem analisar os pacotes de entrada de dados para determinar se a ponte é capaz de enviar o pacote de dados a outro segmento da rede. Porém, as pontes em relação a repetidores ou hubs é bem mais cara, sendo esta uma desvantagem.

Referências Bibliográficas:
http://pt.kioskea.net/contents/lan/ponts.php3
http://pt.wikipedia.org/wiki/Bridge_(inform%C3%A1tica)
http://technet.microsoft.com/pt-pt/library/cc781097(WS.10).aspx
http://www.guiadohardware.net/termos/bridge

Arquivado em: Redes de Computadores