Renavam

Quando as pessoas passam pelo processo para tirar a Carteira Nacional de Habilitação, são apresentadas a uma série de siglas relacionadas às leis, aos veículos, à sinalização, aos órgãos de trânsito, aos Códigos e documentos.

Conhecer e saber o significado dessas siglas – ou, pelo menos, das principais – não é importante apenas para a prova teórica, mas, sim, para a vida de todos os condutores habilitados.

O RENAVAM é uma das siglas mais importantes quando o assunto é trânsito. Você sabe o que ela significa, o que é e para que serve? Ainda não? Neste texto, você ficará por dentro de tudo o que deve saber sobre o assunto. Confira!

O que é o RENAVAM?

A sigla RENAVAM significa Registro Nacional de Veículos Automotores. Na prática, o RENAVAM funciona como a Carteira de Identidade do seu veículo, já que é único e intransferível, servindo como uma forma de identificação. Nesse registro, estão unificadas todas as informações cadastrais dos veículos.

Todo veículo deve ser registrado no Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN) correspondente para que, com esse procedimento, faça parte do banco de dados da Federação e possa ser identificado com facilidade.

Quando você compra um veículo novo, ele vem apenas com o Chassi. Ao fazer o registro – ou seja, o RENAVAM –, é gerado um código, chamado Código RENAVAM, que, assim como a placa, é única para cada veículo e serve para que os dados sejam identificados com maior agilidade.

Para quê serve o RENAVAM?

Quando dissemos que o RENAVAM é uma das siglas mais importantes para os condutores, não era exagero. Toda essa importância se dá pelas inúmeras funcionalidades desse Registro, sendo que a principal é conhecer o histórico e os dados do veículo.

Essa funcionalidade é especialmente importante para compra e venda de veículos usados. Antes de vender ou, principalmente, comprar veículos desse tipo, é possível consultar todo o histórico e checar se as informações do vendedor são, de fato, verdadeiras. Com o Código RENAVAM, identifica-se a existência de débitos, multas, sinistros e até mesmo furtos.

Segundo o artigo 125 do CTB, os dados do veículo que podem ser consultados por meio do RENAVAM são:

  • chassi;
  • placa;
  • marca/modelo;
  • ano de fabricação;
  • Unidade da Federação – UF;
  • município;
  • tipo de veículo;
  • cor;
  • combustível;
  • ano modelo.
  • restrições;
  • débitos de IPVA e seguros;
  • multas;
  • registros de roubo ou furto.

Para conter o histórico completo do veículo, o RENAVAM é sempre o mesmo, ainda que mudem os donos, a localização e as características estéticas do veículo, como a cor.

Na hora de realizar pagamentos, como o IPVA ou multas, o Código RENAVAM é solicitado. Se você fará esse pagamento em caixas eletrônicos, basta inserir esse código e poderá quitar seus débitos com tranquilidade.

Onde encontro o código RENAVAM?

O Código RENAVAM está descrito no Certificado de Registro de Veículo (CRV) e no Certificado de Licenciamento do Veículo (CRLV) que, por sinal, é um documento de porte obrigatório, segundo o art. 121 do CTB.

O Código RENAVAM é, hoje, um código numeral de 11 dígitos (os veículos registrados até 2013 têm códigos de apenas nove dígitos). Esse código é localizado na parte superior do CRLV e do CRV, no campo que diz “CÓD. RENAVAM”, logo na primeira linha, acima do “Nome/Endereço”.

Para aqueles que, por algum motivo, não têm acesso a esses documentos (CRV ou CRLV), como nos casos em que o comprador quer consultar a situação do veículo antes de efetuar a compra, é indicado solicitar o Código RENAVAM e a placa à concessionária ou ao vendedor. Com o código e o número da placa em mãos, basta acessar o site do DETRAN e checar a situação do veículo.

Arquivado em: Trânsito