Base XVIII – Apóstrofo

Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa – Base XVIII – apóstrofo

1º) Casos de apóstrofo:

a) Usa-se para combinações e aglutinações de vocábulos distintos:

d’Os Lusíadas, d’Os Sertões, n’Os Lusíadas, n’Os Sertões, pel’Os Lusíadas

b) Usa-se em contração e aglutinação com formas pronominais para dar realce:
d’Ele, n’Ele, d’Aquele, n’Aquela, d’o, n’a, n’o, Pel’o, m’o, Tu’a

c) Emprega-se em ligações com as palavras santo e santa:
Rua de Sant’Ana, Culto de Sant’lago, Ordem de Sant’lago

d) Emprega-se para eliminar o e da preposição de, em combinações com substantivos:
Estrela-d’alva, Copo-d’água, Pau-d’alho, Pau-d’óleo,

2º) Não usa o apóstrofo:

1. Em uniões perfeitas:

No, Nas, Neles, Nela, Nestas, Nisto, Nesse, Nessa, Naquilo, Nestoutra, Num, Noutra, Nuns, Nos, Nisso, Noutrem, Nalgum, Noutras, Nessoutro, Naqueloutra,

Obs.:

Quando a preposição se combina com a forma articulares ou pronominais a, o, as, os ou quaisquer pronomes ou advérbios começados por vogal, mas acontece estarem essas palavras integradas em construção de infinitivo, não se emprega o apóstrofo, nem se funde a preposição com a forma imediata, escrevendo-se estas duas separadamente:

A fim de ele entender
Apesar de não ter o conhecido
Em virtude de nossos amigos serem corajosos
O fato de o perceber

Arquivado em: Acordo Ortográfico