Cadeia de Valor

Por Fernando Rebouças
Atividades referentes a produção, distribuição, compra e venda desempenhadas desde o fornecedor até o ponto de venda. O conceito de “cadeia de valor” é de autoria de Michael Porter, que o publicou em 1985, na obra “Competitive and Sustaining Superior Performance”.

O conceito surgiu de uma profunda análise das atividades estratégicas das organizações produtivas, estudando os seus custos, comportamentos, oportunidades  e ameaças. Porter concluiu que a empresa que oferece o menor custo e a melhor qualidade será fortemente competitiva no mercado.

Produzir é comprar insumos, é produzi-los em forma de produtos ou serviços, a serem distribuídos, armazenados, revendidos e finalmente ofertados ao consumidor final. Quando um produto chega às mãos de um consumidor, a empresa também está transferindo valores de marca e produtos aos seus consumidores, e a toda cadeia de produção e distribuição.

Além do aspecto simbólico de valores, as empresas de nossos tempos, buscam otimizar suas margens de lucro e de participação no mercado, atuando em cada etapa produtiva e de distribuição afim de reduzir custos, tempo de produção e aumentar a qualidade de seus produtos através de inovações tecnológicas observação das ações de concorrentes (bechmarking – busca de experiências e valores no mercado).

Na estruturação de uma cadeia de valor identifica-se as atividades primárias que abrangem a logística (interna e externa), as operações, o setor de marketing, e as ações de vendas. Está envolvida também com o setor de compras (qual fornecedor contratar?), desenvolvimento e aquisição de inovações tecnológicas, recursos humanos, capacitação e gerência de infraestrutura interna.

Cada ação de marketing, gerência de produto, qualidade, pesquisa, execução tecnológica, por exemplo, são interdependentes , uma necessita do sucesso da outra e devem agir de forma sincronizada . Nessa sincronia há a geração de elos da cadeia de valores, onde o desempenho de um setor auxilia no desempenho do outro.

A interdependência é mais visível nos setores de atividades primárias. No estudo de valor, há o entendimento que este significa o montante que um determinado consumidor está afim de pagar para adquiri-lo, ao pé da letra não seria valor, mas sim preço, porém valor aqui é mensurado na relação preço e  a qualidade, além da importância que o produto representa. A margem é a diferença ente valor total e custos.

Quando a empresa consegue fortalecer seus elos de cadeia de valor ela passa a ter maior capacidade de conquistar a sua vantagem competitiva no mercado, por meio de ações internas (planejamento, compra, produção, venda) e externas (fornecedor, distribuidor, comprador atacadista, comprador varejista, consumidor final).

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Cadeia_de_valor
http://www.sobreadministracao.com/cadeia-de-valor-o-que-e-e-pra-que-serve/