Diagrama de Pareto

Por Caroline Faria
O diagrama criado pelo economista italiano Vilfredo Pareto, no século XIX, é uma das sete ferramentas básicas da qualidade e constitui-se num gráfico que é utilizado identificar quais os itens, ou causas de perdas que devem ser sanadas, são responsáveis pela maioria das perdas.

O diagrama de Pareto, que teve importantes contribuições de Juran (um dos importantes teóricos do gerenciamento de qualidade), baseia-se no princípio de que a maioria das perdas tem poucas causas, ou, como foi dito por Juran “poucas são vitais, a maioria é trivial”.

Através do Diagrama, que pode ser aplicado seguindo-se seis passos básicos, é possível ter uma idéia clara da relação entre causas e problemas a fim de priorizar a ação que trará melhor resultado. As etapas são as seguintes:

1. Determine o objetivo do diagrama, ou seja, que tipo de perda você quer investigar;

2. Defina o aspecto do tipo de perda, ou seja, como os dados serão classificados;

3. Em uma tabela, ou folha de verificação, organize os dados com as categorias do aspecto que você definiu;

4. Faça os cálculos de freqüência e agrupe as categorias que ocorrem com baixa freqüência sob a denominação “outros”, calculando também o total e a porcentagem de cada item sobre o total e o acumulado;

5. Trace o diagrama.

O Diagrama de Pareto tem como objetivo identificar quais causas devem ser “atacadas” primeiro ou que surtirão melhores resultados, no entanto, devem ser verificadas diversas classificações até a construção do diagrama final e problemas ou causas muito complexas devem ser estratificadas a fim de garantir a eficácia do método.